Dona da Leroy Merlin abre primeiro atacarejo de materiais de construção do País

Companhia traz a europeia Bricoman/Bricomart ao Brasil com a bandeira Obramax, para vender para profissionais e consumidor final em diferentes canais

O Grupo Adeo, que opera a marca Leroy Merlin, traz ao Brasil a marca de materiais de construção europeia Bricoman/Bricomart. No País, a marca vai operar com o nome Obramax e é considerado pela companhia o primeiro atacarejo de materiais de construção do País.

Na Europa, a marca opera 77 unidades na Itália, Polônia, França e Espanha. “O setor de construção é muito importante no Brasil. A cada R$ 100 investidos na Construção Civil, R$ 25 voltam aos cofres públicos. Há muito potencial para crescimento: nos próximos dez anos, espera-se que 14,5 milhões de novas casas sejam construídas para suprir o déficit habitacional”, afirma Michael Reins, diretor-geral da Obramax no Brasil.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

Para operar no Brasil, a marca teve de fazer algumas adaptações. Na Europa, o pequeno varejo de material de construção praticamente inexiste – diferente do que ocorre no Brasil. Além disso, por aqui a marca não concede crédito de construção, como ocorre lá. Sem contar no mix de produtos, que difere dos itens que são vendidos lá fora.

Leia também
Loja sem caixas da Amazon abre para o público após um ano de testes

Atacarejo

O modelo da companhia é atender o pequeno e médio varejo, profissionais do setor, especialistas e o consumidor final. “Existem mais de 1 milhão de MPEs de Construção Civil, que representa o terceiro maior segmento de pequenas empresas no País”, explica Reins.

O foco é mais atacado, mas a marca fez adaptações nos meios de pagamento para atender à pessoa física, sem mínimo de compra. Na loja, é possível encontrar os mesmos produtos com diferentes níveis de preços: de varejo, de atacado – a partir de determinada quantidade.

Leia também
Vendas do GPA crescem 8,2% em 2017 com forte participação do Assaí

A operação

A primeira loja foi inaugurada nesta semana, em São Paulo, e segue os padrões europeus, com 10 mil metros quadrados. O investimento foi R$ 110 milhões e o grupo espera investir em torno de R$ 1 bilhão para abrir 10 lojas nos próximos cinco anos.

Ao todo, são mais de 18 mil produtos ofertados na loja, que apresenta apenas um grande corredor central, que permite a visualização do posicionamento das categorias dos produtos.

A loja também conta com drive thru para produtos essenciais de materiais de construção: o consumidor (físico ou jurídico) entra na loja com o carro, carrega os produtos de que precisa e passa no caixa, sem sair do carro.

Leia também
4 Estratégias do Carrefour para crescer até 2022

Integração

Além da loja física, a Obramax também inaugurou e-commerce e atende com televendas. E tudo está integrado, segundo Reins. O consumidor e seu histórico serão identificados em qualquer  ponto de contato que escolha; e o cliente consegue visualizar o estoque da loja e do e-commerce.

Diferentemente de outros e-commerces, o da Obramax tem na loja física o seu Centro de Distribuição. E a ideia é que as entregas sejam feitas de forma rápida. Segundo a empresa, será possível entrega no dia seguinte ao pedido.

Leia também
Pontos de venda móveis são definitivos para aumentar vendas no varejo




Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS