Queda dos juros não anima pequeno empresário a buscar crédito

Mesmo com a Selic alcançando baixas históricas, os micro e pequenos empresários estão receosos de usar crédito; saiba os motivos

Zadorozhnyi Viktor/Shutterstock

Apenas 11% dos micro e pequenos empresários brasileiros mostram intenção de contratar crédito pelos próximos três meses, segundo Indicador de Propensão ao Investimento do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL).

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

Os que não pretendem tomar recursos emprestados somam 74% do empresariado investigado. Outros 13% não souberam responder.

A principal razão para 36% dos empresários que não desejam contratar créditos é o fato de conseguirem manter o negócio com recursos próprios. Além desses, 27% mencionam as altas taxas de juros como impedimento. A insegurança com a situação econômica atinge 14%.

Dificuldades para contratação de crédito

Em relação a dificuldades impostas à cessão dos serviços de créditos, 38% dos micro e pequenos empresários classificam como difícil o acesso, enquanto apenas 20% dos entrevistados dizem ser fácil. O excesso de burocracia (46%) e juros altos (42%) são as principais razões para quem vê entraves na contratação.

Motivos

Entre os 11% dos que pretendem contratar crédito nos próximos três meses, 32% manifestaram a intenção de usar esse dinheiro extra para formar capital de giro. O pagamento de dívidas é o motivo para 21% dos empresários consultados. Outros 18% pretendem reformar a empresa e 16% comprar equipamentos.

Já a modalidade de crédito a ser solicitada ainda não foi definida para 45%, enquanto 26% citam o microcrédito e 20% os financiamentos.

Leia também:

Cartões de crédito devem perder espaço para e-wallets

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS