Consumidor quer personalização, mas tem medo de compartilhar dados

Estudo da Accenture mostra que, apesar de procurar produtos personalizados, os consumidores temem com o que as empresas podem fazer com os seus dados

Legenda: Shutterstock

Quem não gosta de ter um produto que parece que foi feito especialmente para você? Ou uma promoção daquele produto que você está namorando há tempos? O e-commerce permitiu que esse tipo de situação fosse mais comum. Mas, para que isso aconteça, dados dos consumidores precisam ser compartilhados por eles e trabalhados pelas empresas – algo que os clientes vêm se preocupando cada vez mais.

De acordo com um levantamento realizado pela consultoria Accenture, 65% dos consumidores se mostram frustrados quando as empresas não entregam experiências personalizadas e relevantes.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Ao mesmo tempo, 45% se preocupam em fornecer os seus dados para que isso aconteça. Ou seja, querem um serviço para chamar de seu, mas temem o que pode acontecer com os seus dados – uma preocupação extremamente relevante.

E essa falta de cuidado das empresas, seja na hora de cuidar dos dados, seja no momento de comunicar o processo de segurança em cima deles, traz um custo enorme para a iniciativa privada brasileira.

Impacto bilionário

Segundo a Accenture, as empresas deixaram de faturar R$ 401 bilhões em 2017 – especialmente pela migração de clientes para concorrentes melhores posicionados no quesito personalização. Cerca de 93% dos consumidores brasileiros colocaram como extremamente importante o cuidado das empresas com as suas informações pessoais.

Para levantar esses dados, a Accenture entrevistou 25 mil consumidores no mundo todo, sendo 1,3 mil no Brasil. No recorte do País, a consultoria chegou à conclusão de que 66% dos clientes locais preferem comprar de empresas que personalizam as experiências. Por outro lado, 34% se assustam quando a tecnologia começa a antecipar corretamente as suas necessidades.

“À medida que tecnologias como inteligência artificial, aprendizado de máquinas e assistentes digitais se tornam mais sofisticados e atualizados, as empresas estão criando novos pontos de contato, ofertas e serviços”, diz Vasco Simões, líder da Accenture Strategy no Brasil e América Latina.

Compra conectada

Serviços automatizados de reposição, como o famoso Dash Button da Amazon, devem fazer sucesso por aqui. Isso porque 83% dos consumidores brasileiros topariam utilizar eles em seu dia a dia – imagine apertar um botão e receber um sabão em pó, por exemplo, na porta da sua casa poucas horas depois?

Para aproveitar essa demanda de tecnologia e respeitar os medos do consumidor, as empresas precisam se preparar.

Segundo a consultoria, as companhias necessitam se atentar a alguns pontos: ser mais transparente sobre a segurança do seu negócio com os dados dos clientes; criar um produto ou serviço que realmente seja relevante e tenha um valor para o consumidor; e investir em percepções precisas dos consumidores, com análises realmente bem feitas.






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS