Apenas 10% dos empresários querem tomar crédito nos próximos meses

Apesar do número pequeno, houve crescimento na intenção de contratar crédito em fevereiro na comparação com o mesmo mês do ano passado

Os empresários do varejo e do setor de serviços estão mais propensos a tomar crédito. É o que mostra um indicador do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) e da CNDL (Confederação Nacional dos Dirigentes Lojistas). Os números avançaram em fevereiro, na comparação com o mesmo mês do ano passado.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

Foram registrados 20 pontos no indicador no mês passado. O índice teve um crescimento de 3,8 pontos na relação com o mesmo mês do ano passado. O indicador varia de zero a 100 pontos – quanto mais próximo de 100, maior é a probabilidade de os empresários procurarem crédito para seus negócios, e quanto mais próximo de zero, menos propensos eles estão.

O número mostra que o cenário de retomada da atividade econômica tem animado as empresas, mas a proporção de empreendedores que pretendem procurar crédito ainda é pequena. Ao todo, apenas 9,9% dos micro e pequenos empreendedores têm a intenção de contratar crédito nos próximos três meses.

Maioria precisa de capital de giro

Entre as MPEs que pretendem tomar crédito, 48,6% vão usar o dinheiro para capital de giro. Para 17,7%, adquirir equipamentos é prioridade. A compra de estoque será a finalidade de 13,9% dos entrevistados.

O valor médio do crédito a ser tomado será de R$ 55.682,69. Entre as modalidades mais procuradas estão o microcrédito e empréstimos, com 43% das intenções, financiamentos (21,5%) e desconto de duplicatas (7,6%). Outros 16,5% ainda não sabem por qual categoria vão optar.

Mais de três quartos das empresas não vão tomar crédito

A proporção de empresários que não pretendem contratar crédito nos próximos 90 dias é grande. São 76,5% dos entrevistados, número igual ao registrado em janeiro. O restante, 13,6%, não soube responder.

Mais da metade (53%) dos gestores que não vão usar nenhuma modalidade de crédito dizem não o fazer por conseguirem manter os negócios com os próprios recursos. As altas taxas de juros cobradas por instituições financeiras afastam 31,7% das empresas da ideia de tomar crédito. Já 20,6% citam a situação econômica do país como motivo.

O indicador de demanda por crédito leva em conta 800 empresas, todas possuem de 9 a 49 funcionários. A pesquisa feita pelo SPC e pela CNDL tem abrangência nacional.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS