Banco Central cria medida para reduzir taxa do cartão de débito

Nova circular do Banco Central impõe um teto de cobrança sobre tarifa que bancos cobram das empresas donas das maquininhas de cartão de débito. Medida pode favorecer o varejo e o consumidor

O Banco Central anunciou que vai reduzir a tarifa de intercâmbio do cartão de débito, apontada pelo varejo como maior responsável pelo encarecimento do serviço de compra no débito, mesmo diante da redução de outras cobranças.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

Ao longo dos últimos oito anos, a taxa de transação caiu de 1,6% para 1,45%, enquanto, no mesmo período, a taxa de intercâmbio subiu de 0,79% para 0,82% na média. Os números são do Banco Central.

Para que haja efeito positivo para o varejo, será necessário que as empresas donas das maquininhas de débito repassem esse desconto para o lojista, que, por sua vez, poderá repassar ao cliente final.

Limite para taxa do cartão

Com a Circular 3.887 do Banco Central, os bancos emissores de cartão não poderão cobrar mais de 0,80% de tarifa de intercâmbio. A tarifa média praticada no mercado deve cair para 0,50% do valor da transação, segundo a instituição.

A tarifa de intercâmbio é paga pelo credenciador de estabelecimentos, que são as empresas donas das maquininhas, como American Express, Cielo, Rede, Getnet, entre outras. A taxa é paga para os bancos emissores de cartão.

A mudança acontecerá a partir do 1º de outubro deste ano.

Leia também: 

Taxa do cartão de débito paga pelo varejo por transação deve cair, diz IDV






ASSINE NOSSA NEWSLETTER

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

CM 256: Os vencedores do Prêmio Consumidor Moderno de Excelência em Serviços ao Cliente

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS