Confiança do comércio é a melhor desde abril de 2014

Empresários que atuam no comércio julgam a situação atual como favorável para expandir seus negócios. Levantamento da CNC evidencia a melhora

A confiança do empresário que atua no comércio aumentou 14,6% em março, em comparação ao mesmo mês do ano passado. É o maior patamar desde abril de 2014,  segundo o Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec), apurado pela Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). De fevereiro para março, o indicador evoluiu 2,1% – a quinta alta mensal consecutiva.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

O resultado deve-se, principalmente, à melhor avaliação das condições correntes por parte dos comerciantes. Em março, 50,1% deles consideram seus desempenhos melhores do que há um ano. Em relação a 2017, a percepção dos varejistas sobre as condições atuais melhorou expressivamente em todos os itens avaliados (economia, setor e empresa), com destaque para a economia, com aumento de 50,9%.

“A leve recuperação do comércio, baseada principalmente no consumo, aliada à manutenção do cenário favorável de inflação e melhores condições de crédito, impactou positivamente a avaliação dos varejistas sobre o momento atual. O processo de recuperação, mesmo lento, tende a impulsionar ainda mais a confiança dos empresários”, afirma Bruno Fernandes, economista da CNC.

Leia também:
Índice de Expansão do Comércio avança mais de 20%

Expectativas para o comércio

Segundo a CNC, as expectativas dos comerciantes no curto prazo são as maiores desde dezembro de 2013. Houve aumento 5,4%  na comparação anual e 1,0% em relação a fevereiro. As perspectivas no curto prazo em relação ao desempenho do comércio aumentaram em todos os quesitos pesquisados: o próprio comércio em geral (6,2%), da própria empresa (+3,9%) e da economia (+6,3%) melhoraram em comparação com o mesmo período de 2017. Na avaliação de 85,7% dos entrevistados, a economia vai melhorar nos seis meses à frente.

O subíndice que mede as intenções de investimento no setor teve reação mais significativa  nas intenções de investimentos nas empresas, com alta de 21,7%. Nos três últimos meses do ano passado, já foi possível perceber o início de um processo de recuperação em alguns estados. Com isso, a CNC projeta abertura líquida de 20,7 mil novos pontos comerciais ao fim de 2018.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Quanto custa abrir uma franquia de varejo no Brasil?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS