IBGE: Desemprego sobe no 1º tri, mas tem leve queda no anual

Atualmente são 13,7 milhões de desempregados no Brasil, segundo o órgão estatístico. Confira mais detalhes sobre os novos números do mercado de trabalho

A taxa de desemprego do mercado de trabalho brasileiro subiu para 13,1% no primeiro trimestre de 2018, segundo levantamento divulgado nesta sexta-feira pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) Contínua, do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora! 

No último trimestre de 2017, o número de desempregados era 1,3 ponto percentual menor (11,8%). Em relação ao primeiro trimestre do ano passado, utilizando a mesma base de comparação, o registro é de uma leve queda de 0,6 ponto percentual.

Com os resultados, atualmente são 13,7 milhões de brasileiros desocupados. O número cresceu 11,2% em relação ao trimestre anterior, quando tinham 12,3 milhões. No confronto anual, comparando ao primeiro  trimestre de 2017, houve queda de 3,4%. Na época, havia 14,2 milhões de desempregados.

Formal x informal

Em ambas as bases comparativas o número de empregados com carteira de trabalho assinada caiu. Em relação ao último trimestre de 2017, o resultado foi de 1,2% negativo, com redução de 408 mil pessoas fora do mercado de trabalho formal. Atualmente, são 32,9 milhões de pessoas na formalidade. No confronto com o trimestre de janeiro a março de 2017, a queda foi ainda mais acentuada: 1,5% (menos 493 mil pessoas com carteira assinada).

O número de empregados sem carteira de trabalho assinada (10,7 milhões de pessoas) apresentou uma redução de 402 mil pessoas em relação ao trimestre anterior. Comparando ao mesmo trimestre de 2017, a informalidade cresceu em 5,2% (mais 533 mil pessoas).

Leia também:
Taxa de desemprego é a maior da série histórica, diz IBGE

 






MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS Prêmio Consumidor Moderno

CM 255: Tudo o que você precisa saber sobre o consumidor na pandemia

Você já conhece as Identidades do consumidor?

VEJA MAIS