TCU vai investigar se cobrança de bagagem aérea reduziu preço

Após diversas manifestações de órgãos de defesa do consumidor, o Tribunal de Contas da União vai investigar a cobrança de bagagem aérea

Por: - 5 meses atrás

Pexels

O Tribunal de Contas da União (TCU) vai investigar se a cobrança em separado de bagagem reduziu, de fato, o preço das passagens aéreas no Brasil. O valor cobrado à parte pelo despacho das malas, em voos domésticos, foi autorizado pela Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), por meio de resolução, em dezembro de 2016, e aplicada a partir de abril de 2017.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Na época, o principal argumento das companhias aéreas foi que, com a cobrança em separado pela franquia de bagagens, o preço dos bilhetes cairia para quem não optasse pelo serviço. O relator do caso no tribunal será o ministro Bruno Dantas. O TCU não informou a previsão para a conclusão da auditoria, aberta na semana passada.

Esclarecimentos

Em entrevista a Agência Brasil, o presidente do TCU, ministro Raimundo Carneiro, falou em esclarecer os fatos sobre a polêmica da bagagem. “Trata-se de um trabalho relevante para a sociedade brasileira, especialmente para os usuários do transporte aéreo em nosso país, inclusive para que sejam esclarecidos os diversos fatores que influenciam nos preços das passagens aéreas”, destacou. Ele também ressaltou que a abertura da auditoria atende a uma solicitação da Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara dos Deputados.