Com menos redes e mais lojas, franquias crescem pelo interior do País

A Associação Brasileira de Franchising (ABF) divulgou números relacionados ao setor na abertura da Franchising Expo. Confira

Os setor de franquias tem ganhado pontos de vendas em formatos diferentes dos tradicionais, de lojas e quiosques. É cada vez mais frequente a presença de bandeiras franqueadas em pontos comerciais alternativos como em terminais rodoviários, universidades e terminais marítimos.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

André Friedheim, vice-presidente da Associação Brasileira de Franchising (ABF), destacou, durante a abertura da ABF Franchising Expo, que até dentro da barca Rio-Niterói há franquias trabalhando. “É preciso tornar os pontos de vendas mais acessíveis, eventualmente menores. Mas é importante que isso seja feito sem que o negócio perca sua essência e sem piorar o nível de serviço” avaliou Friedheim.

Os efeitos da pulverização das franquias contemplam uma redução no número de bandeiras no Brasil em contraposição ao aumento no número de lojas, o que significa que as franquias estão ficando nas mãos de um número menor de franqueados.

Em 2017, a ABF contou 2.845 bandeiras no País, contra 3.039 em 2016, o que representa uma queda de 6%. Porém, o número de unidades no período aumentou 2% e a expectativa da ABF para este ano é que o aumento no número de unidades seja um pouco maior, 3%.

Hoje, quase metade dos municípios brasileiros tem franquias. Os dados deste ano da ABF apontam que 45% das cidades brasileiras têm ao menos uma bandeira de franchising, chegando a 2.492 municípios num total de 5.570.

Menos franqueados, mais unidades

O número de franqueados com mais de uma unidade da mesma franquia aumentou em 2018. Hoje, 84% dos franqueados têm mais de uma unidade. Em 2017, o número era de 74,5%. Há ainda os franqueados multimarcas, que trabalham com mais de uma bandeira. Eles somam 54% do total, segundo dados de 2018 da ABF. Na média, cada franquia tem 50 lojas.

Leia também:

Google capacitará 10 mil empreendedoras brasileiras até o final do ano 

Para Altino Cristofoletti, presidente da ABF, a escalabilidade e a capacidade de expansão do setor via, principalmente, microfranquias, são, hoje, a tônica para atrair novos franqueados. “Nos últimos 3 anos a gente viu se fazer mais presente as redes de franquias exatamente porque atuam em escala. Também é muito constante a presença no interior do País, em grandes pontos de concentração. Em especial por meio das franquias de baixo investimento, as chamadas microfranquias”, destaca o executivo.

A semana do franchising, organizada pela ABF, começou na segunda-feira, 25. A feira começou ontem (27) e se estende até domingo (30).

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Quanto custa abrir uma franquia de varejo no Brasil?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS