Novo fator decisivo nos negócios: a proteção de dados dos consumidores

Um estudo desenvolvido pela Veritas Technologies mostra que 62% dos consumidores não comprariam de empresas irresponsáveis com seus dados. E não é só isso.

Por: - 6 meses atrás

Pexels

Um estudo produzido pela Veritas Technologies, empresa especializada no gerenciamento de dados em nuvem, colocou ainda mais pimenta no intenso no debate sobre a Regulamentação Geral sobre a Proteção de Dados (da sigla em inglês GDRP) na União Europeia.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Segundo os dados da pesquisa, os consumidores têm pouca confiança nas organizações no que diz respeito à proteção de seus dados pessoais: 38% dos consumidores dizem que a maior parte das empresas não sabem como proteger os dados pessoais dos consumidores. O Estudo Global de Consumidores sobre Privacidade de Dados 2018, conduzido pela 3GEM, entrevistou 12,5 mil pessoas em 14 países. Os resultados mostram que os consumidores pretendem recompensar organizações que protegem adequadamente seus dados pessoais e punir aquelas que não o fazem, passando a comprar de outras empresas ou a depreciar a reputação da marca.

Não compro

Outro dado importante foi sobre a compra de produtos ou a contratação de serviços de empresas com problemas em proteger os dados. Ao que tudo indica, consumidores não fariam negócios com empresas que não protegem os seus dados. Segundo os dados, dois terços (62%) dizem que deixariam de comprar de uma empresa que não protege seus dados, enquanto quase a metade (48%) dos entrevistados dizem que não se manteriam leais a uma determinada marca e considerariam a possibilidade de recorrer a um concorrente. Oito em cada dez (81%) dizem que pediriam a seus amigos e familiares que boicotassem a empresa, enquanto quase três quartos (74%) afirmam que chegariam ao ponto de denunciar a companhia a órgãos reguladores.

Quase dois terços (65%) dos consumidores dizem que postariam comentários negativos sobre a empresa na internet. No entanto, a pesquisa mostra que os consumidores também pretendem recompensar as empresas que estão protegendo adequadamente seus dados. Três em cada cinco (59%) entrevistados dizem que gastariam mais dinheiro com empresas nas quais confiam em termos de manipulação de seus dados, com mais de um quarto (27%) disposto a gastar até 25% mais com empresas que levam a sério a proteção de dados.

Dados sensíveis

O estudo ainda mostrou quais os dados mais sensíveis para os seus consumidores. E os números mostram que a rotina financeira é a informação mais relevante – e que deve realmente ser protegida pelas empresas. De acordo com o estudo, detalhes sobre finanças pessoais, incluindo renda, empréstimos imobiliários foi mencionado por 60% dos consumidores.

Curiosamente, a localização foi o segundo dado mais comentado na pesquisa ao lado de hábitos de uso da internet, ambos com citados por 40% do total.