74% dos que poupam para aposentadoria acreditam que vão manter o padrão de vida

Pesquisa do SPC Brasil em parceria com a CNDL mostrou qual o comportamento do brasileiro que guarda dinheiro para aposentadoria

Por: - 9 meses atrás

Pensando em manter o padrão de vida, muitas pessoas decidem guardar dinheiro para a aposentadoria. Uma pesquisa do SPC Brasil (Serviço de Proteção ao Crédito) com a CNDL (Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas) traçou um perfil das pessoas que se preparam ativamente para deixar o mercado de trabalho.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno

O levantamento mostrou que 88% dos que guardam dinheiro para a aposentadoria se preocupam em fazer adaptações no orçamento. Desses, 49% reduzem a ida a bares e restaurantes. Já 46% afirmaram que evitam comprar itens supérfluos em supermercados. Outra medida adotada é diminuir os gastos com viagens, 40% citaram a ação. Outro dado que chama atenção é o fato de 21% reduzirem gastos com plano de saúde.

Padrão de vida

O principal objetivo de quem guarda dinheiro para a aposentadoria é manter o padrão de vida. A pesquisa mostrou que a maioria dos que se preparam para essa fase acredita que vai alcançar esse objetivo. De acordo com o SPC, 74% acreditam que manterão um estilo de vida confortável após deixarem o mercado de trabalho.

Entre aqueles que contribuem com a previdência social, 45% acham que o valor da aposentadoria será suficiente para seu sustento. Desses, 24% imaginam que conseguirão manter o padrão de vida atual, enquanto 22% acham que terão um padrão de vida menor. Já 38% dos entrevistados pensam que o valor não será suficiente para pagar as contas, percentual que chega a 54% na classe A/B.

Aplicações financeiras

Muitos especialistas em finanças pessoais usam a internet para dar dicas das melhores aplicações para se aposentar tranquilamente. A pesquisa mostrou que 75% dos entrevistados acompanham suas reservas com frequência, sendo que 32% consideram a prática uma forma de manter a disciplina na hora de guardar dinheiro. Por outro lado, 25% disseram que não acompanham seus investimentos, seja para evitar gastar o dinheiro com outras coisas (11%), ou por não achar necessário (10%).