Estudo indica que vendedores brasileiros são os mais rápidos do mundo

Pesquisa da Pipedrive contemplou diferentes segmentos como PMEs, educação, tecnologia e finanças. Veja as causas que explicam a liderança brasileira no setor

Por: - 11 meses atrás

Pesquisa do Pipedrive – software de pipeline e CRM para organizações empreendedoras -, realizada sob análise anônima de mais de 70 mil times de vendas ao redor do mundo, concluiu que as equipes brasileiras são as mais rápidas. A série é feita anualmente e tem o objetivo de mapear as melhores equipes de vendas e as possíveis causas para o sucesso de cada uma.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

O recorte de pesquisa foi amplo e contemplou diferentes segmentos como PMEs, educação, tecnologia e finanças. A plataforma revelou que times com as melhores performances de venda obtiveram taxa de conversão de 37%, de modo que fecharam acordos com clientes em um período médio de 36.5 dias. As empresas classificadas com desempenho baixo obtiveram conversão de 4.95% e levaram cerca de 56.62 dias para concluírem o negócio. Nesse contexto, o estudo indicou que os times brasileiros são os mais rápidos entre os quadros analisados, de maneira que o tempo médio para a conclusão de negócios no Brasil foi de 28 dias.

Na Europa o tempo para concluir os negócios é maior. A Bélgica aparece entre os países com desempenho mais lento e pode levar até 56 dias para efetivar uma negociação. A Holanda aparece na sequência, com a marca de 50 dias para fechar uma venda, enquanto Reino Unido e Estados Unidos quase que empatam, com 46 e 44 dias, respectivamente.

Possíveis causas

A competitividade e o estilo amigável na abordagem são os temperos diferentes para que o país apareça à frente dos demais quando o assunto é a velocidade das vendas. Os times brasileiros reconhecem que, se não fecharem a venda de forma ágil, outro vendedor será ainda mais simpático e convincente e acabará fechando a compra.

A análise encontrou semelhanças curiosas entre os países que lideram o ranking, independente da indústria. Os resultados revelaram que empresas com conversões baixas conduziram 30% mais atividades em comparação com as companhias de alta performance. Isso significa dizer que times que apresentaram os melhores desempenhos atingem as metas fazendo menos. As organizações de destaque, que tem a priorização como foco, costumam adicionar apenas metade de suas prospecções ao pipeline, entretanto, costumam fechar o dobro de transações.

“Nós realizamos a nossa avaliação global de vendas para ajudar equipes a aprenderem quais as melhores práticas, técnicas, ferramentas e tecnologias a serem ser utilizadas em cada região e setor de negócios. Enquanto o segmento de vendas cresce naturalmente em âmbito global, o sucesso pode acabar dependendo da expertise em lidar com diversos mercados ao mesmo tempo de forma sutil”, explica Timo Rein, CEO e Cofundador do Pipedrive.