Em provocação ao McDonald’s, Burger King sugere censura

Em propaganda, Burger King sugere censura por não poder divulgar pesquisa que a colocaria à frente do McDonald’s na preferência do brasileiro

O Burger King respondeu ao McDonald’s e ao IPSOS em uma peça publicitária veiculada em suas redes sociais que sugere censura à empresa, impossibilitada de falar que o Burger King ultrapassou o McDonald’s como rede de fast-food preferida dos brasileiros.

Confira a nova edição da revista NOVAREJO com tudo que acontece no setor

A Veja publicou, no dia 17 deste mês, em sua coluna Radar, a informação de que, pela primeira vez na história, a rede do rei havia superado a do palhaço Ronald, com 35% da preferência para o Burger King e 31% para o McDonald’s. No mesmo dia, o IPSOS, contratado pelo Burger King para realizar a pesquisa disse que “os resultados não fundamentam esta conclusão”.

Em encontro com publicitários e jornalistas no último fim de semana, o vice-presidente do McDonald’s Roberto Gnypek relacionou a informação da Veja com as fake news. Segundo Gnypek, há um empato técnico entre as marcas por conta da margem de erro da pesquisa.

Nesta semana, o presidente mundial do Burger King, José Cil, esteve no Brasil para a inauguração da loja 2 mil do grupo na América Latina, número superior às 1.500 anunciadas pelo McDonald’s na região.

Assista à propaganda:

Burger King | Preferência do Público

Esse post era pra comemorar. Mas não vai dar. O BK ficou com 35% da preferência na categoria fast food, contra 31% daquele concorrente. Isso é um empate técnico por causa da margem de erro de 3 pontos percentuais: 35% x 31%. Empate, né? Já que a gente não pode dizer, diga você. Confira todo estudo da Ipsos nesse link burgerking.com.br/about-bk

Posted by Burger King Brasil on Thursday, August 30, 2018

 






Acesse a edição:

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS