Sobre o círculo virtuoso das indicações: você conhece o “Finder”?

“Finder é aquele cara boa praça, bem intencionado, que pode te legitimar, indicar, orientar, abrir portas, apresentar pessoas que você precisa conhecer”

Por: - 3 semanas atrás

Muito se tem falado – criticamente – sobre o nepotismo, preferência em contratar amigos e conhecidos, o famoso networking e o “batido” quem indica (QI). No entanto, em tempos atuais onde o currículo já não traduz mais quem somos de verdade devido a nossa interdisciplinaridade e interesses diversos no campo do trabalho e além dela, precisamos mais do que nunca daquela “pessoa chave”, que tem o poder de te enxergar gente e suas habilidades, observar possibilidades futuras em conjunto, captar sinais que podem criar vínculos e oportunidades, estou me referindo ao finder.

Ter nas suas redes de contato esse indivíduo que possuem algumas dessas características e, que principalmente, conhece muita gente, iniciativas, projetos, empresas é no mínimo um novo caminho de inserção no mercado. Além disso, este profissional precisa ter em sua essência o poder de persuasão além de serem admirados pela sua relevância.

Apresento a vocês o novo caminho para hackear o sistema em qualquer instância. O finder é aquele cara boa praça, bem intencionado que pode te legitimar, indicar, orientar, abrir portas, apresentar pessoas que você precisa conhecer, sabe o que estou dizendo? Pois é… é gente que ganha ao ver uma aliança dar certo, porque o seu lucro está além do dinheiro, do pagamento, da verba, da porcentagem de um negócio, ele não é um lobista. Ele simplesmente acredita na economia da dádiva.

É muito mais sobre obter vantagens, as tais moedas sociais, porque quando você faz o círculo virtuoso das indicações girar você movimenta a vida de todos os envolvidos direta e indiretamente e, por conseguinte, a sua também, porque cá entre nós, dá um prazer danado em ver pessoas conseguindo crescer, progredir e encontrarem seu caminho.

O finder é aquele tipo de gente que gosta de gente, e para se sentir bem precisa que o seu entorno esteja, pelo menos, feliz em tentar algo novo, mesmo que seja apenas uma esperança de mudança, dando certo ou errado, dane-se, estamos fazendo a roda girar. E mais, possui um faro aguçado para unir pessoas que possuem ou possam vir a ter objetivos em comum, é como se fosse o Tinder personificado, mas sem aquele lance de mascarar as descrições e as fotos recheadas de filtros.

Não… a riqueza do finder é a tradução mais fidedigna das pessoas, apresentá-las de tal forma que possa traduzir verdade e relevância porque o foco está na qualidade da construção de conexões que possam frutificar e fazer diferença. Representa aquela massa de cidadãos que acredita que quanto mais a gente dá mais o universo devolve. Parece frase de auto-ajuda, mas na verdade há explicação antropológica para essa crença. Assunto para uma nova coluna.

Parcerias de trabalho, afinidades para um novo hobbie, orientações acadêmicas ou de carreira, dicas e recomendações das mais variadas naturezas que fazem a nossa vida melhor.

Se você tem esse dom ou desenvolveu esta virtude ao longo da sua experiência, procure praticar, você verá que unir forças, vontades e pessoas é uma emergência em tempos atuais. Prometo que no mínimo te fará uma pessoa mais empática, leve e aumentará sua relevância no mundo.

E se você estiver precisando de um finder na sua vida, abra seu coração, mostre este texto a um possível protagonista das conexões e torça para que tudo dê certo, uma hora a gente alcança e tudo passa fluir. Mas… se você teve a sorte de encontrar e se inserir no círculo virtuoso das indicações não deixe a roda parar, coloque energia para que ela continue girando fazendo diferença na vida de outras pessoas. A partir das micro-revoluções podemos mudar muita coisa, a primeira delas é o brilho no olhar que só a esperança pode conceder. Acredite, funciona.