DOOH: a sigla para conquistar a atenção do cliente

Em um momento em que o grande desafio do mercado é ganhar o olhar e o coração dos clientes, a mídia digital Out of Home pode ser uma grande escolha

Por: - 12 meses atrás

Tempo e atenção são dois fatores extremamente caros para o consumidor atualmente. E isso é algo inquestionável, afinal, todos passamos, tanto como indivíduos quanto como empresas, pela rotineira disputa pela atenção. Essa é uma realidade que se espalha por todos os meios de comunicação e gadgets e, é claro, traz desafios para a comunicação das companhias dentro e fora do País: como conquistar um consumidor que está olhando para todos os lugares mas não está necessariamente vendo aquilo que enxerga?

Motivar alguém a valorizar uma informação, despertar curiosidade e interesse são tarefas cada vez mais árduas que, apesar da dificuldade, têm despertado mentes criativas e – por que não? – novos modelos de negócio. É o caso, por exemplo, da Elemidia, empresa que, desde 2003, reformulou o conceito de mídia Out of Home (OOH).

Desde o início, a Elemidia oferece soluções de comunicação customizadas e segmentadas através de telas em elevadores de edifícios comerciais, residenciais, shoppings e outros estabelecimentos comerciais. “Mais de 20 milhões de pessoas são impactadas, por semana, pelas nossas telas”, conta Eduardo Alvarenga, CEO da Elemidia. “Isso por causa da distribuição de um conteúdo segmentado, dinâmico e relevante, e que conta com um grande diferencial: um alto nível de atenção da audiência de 95%, segundo pesquisa realizada pelo Datafolha neste ano”.

Ao mesmo tempo, o executivo revela que, em tempos nos quais as informações e as notícias são cada vez mais dinâmicas, a Elemidia tem o compromisso de ser uma fonte segura sobre o que acontece no Brasil e no mundo em tempo real. “Com mais de cem parceiros de conteúdo, trazemos informação relevante e de qualidade para nosso público”, diz.

É preciso estar presente

Apesar de ter estratégias inovadoras, Alvarenga revela que fazer parte das vidas das pessoas é o grande desafio da mídia OOH. “Conhecemos bem nosso público e entendemos sua jornada”, afirma. “Por isso, podemos oferecer aos clientes nossa inteligência para construir campanhas orientadas por dados fazendo com que elas sejam mais assertivas”.

Entre as possibilidades, ele cita que a integração das propriedades da Elemidia com as informações estratégicas dos clientes e até mesmo a inclusão da expertise de terceiros são fatores importantes para entregar uma solução customizada de comunicação para os clientes da Elemidia. “Essa é a tendência que vejo para os próximos anos: ganho de produtividade, eficiência e estímulo para novas ideias”, defende.

“Assumimos o papel de despertar o interesse por novos assuntos e começar conversas que se estendem muito além do ponto onde impactamos”, revela. “Formatos dinâmicos e soluções inovadoras como os projetos que desenvolvemos na Elemidia são exemplos de uso da tecnologia, e a integração com o mobile é fundamental para conquistar um público cada vez mais exigente”.

Direcionamento

Atualmente, a Elemidia já conta com a facilidade de transmitir conteúdo segmentado de acordo com o público. Além disso, pode levar em consideração variáveis como índices econômicos, previsão do tempo, horário etc. “Isso nos trouxe e continua trazendo anunciantes importantes”, revela.

Entre os exemplos estão O Boticário e Óticas Carol, que fizeram campanhas comunicando as lojas mais próximas de seus clientes, e a 99, que utilizou a integração de informação de trânsito para mostrar aos passageiros, em tempo real, a previsão de espera do carro mais próximo.

Quais são os diferenciais da Elemídia?

– Mais de 10.000 telas em edifícios comerciais;
– Expansão das telas em edifícios residenciais com mais de 5.000 telas;
– Mais de 20 milhões de pessoas impactadas por semana e;
– Atenção de 95% da audiência, segundo pesquisa do Datafolha.