Natura incorpora campanha “Segunda Sem Carne”

Com apoio da Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), Segunda Sem Carne será aplicada de forma gradual nos restaurantes da empresa em SP e Pará

Por: - 9 meses atrás

A Natura, gigante da área de cosméticos, deve retirar a proteína animal de seus cardápios pelo menos às segundas-feiras. A iniciativa vai de encontro ao movimento mundial Segunda Sem Carne, presente em mais de 40 países e promovido pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB). Na prática, mais de 4,5 mil colaboradores da companhia serão contemplados pela ação e, consequentemente, convidados a uma nova reflexão sobre o consumo de carne em suas vidas.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

As refeições devem receber diferentes combinações de proteína vegetal para estimular hábitos saudáveis entre os colaboradores, como cogumelos, grão de bico e lentilha. Marcos Milazzo, diretor de Remuneração e Benefícios da companhia, explica que a ação vai se dar de forma gradual.  “Envolvemos diversos times para embarcar nesse movimento. Além do tom convidativo para experimentar novos hábitos e sabores, queremos mobilizar nossa rede de colaboradores para a importância das escolhas individuais no cuidado com o meio ambiente”, explica.

Em um primeiro momento, saem do cardápio as carnes bovinas e suínas. As próximas fases devem retirar gradualmente carnes de frango e peixe, até que o cardápio se torne 100% vegetariano às segundas-feiras. Vale destacar que antes da decisão ocorrer, a equipe de cozinheiros da empresa passou por treinamentos e capacitação com membros da SVB.

A aplicação da Segunda Sem Carne vai ajudar significativamente no longo prazo. A Natura vai preservar, por ano, o equivalente a 500 hectares de vegetação – o que corresponde a dois Parques Ibirapuera -, além da economia de 5 milhões de litros de água. No consumo, serão evitados 1,5 milhão kg de grãos de soja, que costumam ser destinados a ração dos animais. “Entendemos que todos precisamos fazer a nossa parte, dia a dia, para gerar impacto positivo a partir de escolhas mais conscientes”, conclui Marcos.