Apenas 206 cidades brasileiras estão totalmente prontas para os meios de pagamentos eletrônicos

País tem 1.100 municípios em fase de transição para modelo com capacidade de atendimento pleno das operações por meios digitais, segundo estudo da Visa

O avanço do uso dos meios de pagamentos eletrônicos segue como um dos principais desafios para a transformação digital do varejo e a expansão do e-commerce no País. Hoje, apenas 3,8% das 5.570 cidades brasileiras estão prontas para atender totalmente as demandas do empresariado que pretende reduzir a circulação de dinheiro e ampliar os meios digitais de checkout. Para o varejista, saber a real capacidade de um determinado município para atender essa demanda pode definir a abertura de uma unidade ou a expansão de uma loja já existente.

Mas como responder essa questão. Como saber a situação verdadeira de cada município. Essa pergunta começou a ser respondida por meio de um levantamento realizado pela Visa Consulting & Analytics (VCA), área de consultoria da Visa.  O estudo, batizado de Índice de Maturidade para Pagamentos Digitais, adotou quatro categorias de classificação: cidades prontas, em transição, emergentes e iniciantes.

A revista NOVAREJO digital está com conteúdo novo. Acesse agora!

A divisão entre os grupos leva em consideração quatro critérios: infraestrutura da cidade (número de agências bancárias e ATMs, acessos à internet por banda larga e número de celulares); condições socioeconômicas (PIB, IDH, percentual de população urbana e educação); emissão de cartões (número de cartões por habitantes e transações por crédito e débito); aceitação de cartões (POS por habitante, quantidade de segmentos e número de POS por metro quadrado).

Com esses dados, o resultado obtido foi o seguinte: 206 cidades estão totalmente prontas; 1.100, em transição; 2.100 são emergentes e outras 2.100, iniciantes.  No grupo cidades prontas, 12% estão em São Paulo e 10%, no Mato Grosso. No caso do segundo grupo, em transição, 50% encontram-se divididas entre São Paulo e Rio de Janeiro. Já entre as emergentes, 70% foram localizadas no Espírito Santo e Goiás. Em sua maioria (90%), as iniciantes estão em Alagoas, Piauí, Acre,Bahia e demais estados do Norte e Nordeste.

Segundo Rodrigo Santoro, diretor da Visa Consulting, o mapeamento  tem como objetivo facilitar a busca por novos clientes e planejar ações focadas nas características de cada cidade.  A partir do mapeamento, a Visa partirá, em um segundo momento, para um processo de “ataque” a 200 cidades. O objetivo, explica Santoro, é ampliar o uso dos meios digitais nesses municípios considerados como polos, ou seja, com influência direta nas formas de pagamento em um conjunto de cidades que estão localizadas no entorno delas.

Leia mais: O comportamento do consumidor digital no Brasil

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS