Depois do táxi, o Uber tem outro “inimigo”

Em carta aberta, a entidade patronal do transporte coletivo urbano se posiciona contra aplicativos como o Uber e o 99. Veja o que eles alegam

Por: - 5 meses atrás

Crédito: Unplash

Depois do táxi, agora é a vez das empresas de ônibus de passageiros se posicionarem contra o Uber e outros aplicativos de mobilidade disponíveis no Brasil.

A manifestação ocorreu durante a 74ª Reunião Geral da Frente Nacional de Prefeitos (FNP), realizada no último dia 27. Na ocasião, a Associação Nacional das Empresas de Transportes Urbanos (NTU) apresentou uma carta aberta aos prefeitos contra os aplicativos, a entidade afirma que houve redução de 25% no número de passageiros entre 2014 e 2017 nas principais capitais do Brasil.

Lotação

“As novas modalidades ofertadas pelos aplicativos se assemelham ao antigo “táxi lotação”, com impacto ampliado pelo uso da tecnologia, e podem provocar graves desequilíbrios financeiros nas redes de transporte público”, afirma a entidade na carta.

Na carta, a entidade destaca ainda os riscos da falta de regulamentação desses serviços em algumas cidades brasileiras e sobre os graves problemas econômicos e de perda de demanda de passageiros enfrentados pelas empresas nos últimos anos. Na ocasião, o documento foi lido para todos os presentes na reunião.

Veja a carta na íntegra AQUI.