“Os Bots só irão melhorar quando tivermos mais humanos capazes de treiná-los”, diz Henrique Carvalho

O co-fundador da Cosmobot fez uma demonstração de Bot Battle no Wired Festival 2018 e falou sobre a perspectivas para os Chatbots no Brasil

Por: - 4 meses atrás

Além das palestras, o Wired Festival 2018 conta com workshops para aproximar os participantes do evento das iniciativas apresentadas pelos palestrantes. Neste sábado, Henrique Carvalho, co-fundador da Cosmobot, organizou uma batalha de Chatbots, onde três modelos interagiram e foram avaliados por quem assistia. Participaram do desafio o bot da vinícola Concha e Toro; o de uma clínica de odontologia, batizado de Odontobot; e o bot de atendimento ao cliente da Net.

Antes das pessoas conversarem com os bots e darem suas notas, Henrique falou sobre o momento da nova tecnologia e o que podemos esperar para os próximos anos. “Os Bots só irão melhorar quando tivermos mais humanos capazes de treiná-los”, afirmou.

Atualmente, para Carvalho, um dos principais desafios para o desenvolvimento de chatbots mais eficientes é a carência de mão de obra especializada para programá-los e ensinar a eles como se comunicarem melhor. Outras questões  enumeradas  durante o workshop que ainda atrapalham o avanço dos robôs é a ausência de modelos padrões e a dificuldade de integração com outras soluções.

Perspectivas

De acordo com a Gartner, a expectativa é que 85% das empresas e 90% dos bancos do mundo tenham automação de Chatbot até 2022. Essa realidade  ainda é distante para o Brasil, mas estamos avançando bastante no uso dos Bots, segundo Henrique, principalmente enquanto estratégia de relacionamento com o cliente.

Dados mostram que o e-commerce cresceu no Brasil em 2017. Para o co-fundador da Cosmobot, isso abre espaço para os Chatbots serem incorporados, tornando o serviço mais eficiente. “São 55 milhões de usuários, 48 bilhões de reais faturados, mas ainda há uma taxa de abandono de carrinho de 82%. A interação pode agir exatamente nessa conversão”, afirma.

Em relação aos canais onde as soluções de Chatbots podem ser aplicadas, os Apps de Mensagens se sobressaíram nas últimas pesquisas. A motivação para isso foi que esses aplicativos ultrapassaram o número de usuários de redes sociais em 2015, liderados pelo Whatsapp, seguido pelo Messenger, que atualmente é o canal com maior número de bots com mais de 100 mil soluções. O Whatsapp passou a  permitir o uso de Bots este ano, mas ainda com muitas restrições.

Cosmobot

A Cosmobot é uma Startup que foi criada em Janeiro deste ano com o objetivo de reduzir a capacidade técnica exigida para criar um Chatbot, ajudando a simplificar o atendimento ao cliente. A plataforma permite a qualquer um, não só criar, mas fazer a gestão dos bots.

O Cosmo possui a sua própria Inteligência Artificial e é Omni-channel, todos os fluxos possuem o mesmo comportamento para os canais disponíveis hoje.

“As empresas precisam buscar aprender mais sobre os Chatbots, aprofundar o conhecimento a respeito disso. Afinal, são eles que ficam responsáveis pelo contato direto com os clientes. É importante ter o controle sobre eles e não deixar totalmente nas mãos das consultoras”, reforçou Henrique.