Sustentabilidade e transformação digital são parte do futuro do Carrefour

Noël Prioux, CEO do Carrefour, revela parte do futuro da empresa, envolvendo investimentos em tecnologia e fomento da cadeia de valor. Entenda

Por: - 6 meses atrás

Estamos chegando ao fim de 2018. Com a virada para o próximo ano já em perspectiva, os enfeites de Natal já ocupam as lojas, assim como uma variedade cada vez maior de panetones e alimentos típicos do período. Com o fim do ano, porém, é feito também um balanço dos últimos doze meses: será que eles foram bons ou ruins?

Para o Carrefour e todas as suas marcas, 2018 foi um ano marcante. Os dados da empresa no período são bastante positivos – e as perspectivas de futuro são ainda melhores. Prova disso é que, de acordo com o CEO Noël Prioux, nos últimos 9 meses o faturamento da empresa cresceu 6,6%, alcançando R$ 40,5 bilhões.

Ao mesmo tempo, em aspectos mais variados de geração de valor, a marca esteve à frente de seus concorrentes. De acordo com estudo realizado em junho de 2018 com 5598 entrevistados, a marca é a melhor em elementos como responsabilidade social, confiança, modernidade, qualidade de marca própria, sortimento de perecíveis, entre outros pontos.

Visão de futuro

Naturalmente, esses são fatos que colocam a empresa diante de uma boa perspectiva. O Carrefour tem uma estratégia de transformação chamada Carrefour 2022: Estratégia de Transformação, que envolve transição alimentar, expansão e transformação digital. A união desses três aspectos evidencia que, no momento histórico atual, é essencial pensar em geração de valor não apenas para si e para seus acionistas, mas também para a cadeia de valor e para a sociedade como um todo.

Para o Carrefour, isso representa um investimento de R$ 1,8 bilhão em 2018. O valor, naturalmente, é direcionado para a expansão das marcas – que vão de atacado a drogarias –, mas também a expansão de valores essenciais para a cadeia de fornecimento e distribuição, além de investimento em transformação digital interna e externa.

Um exemplo é que, hoje, graças ao app Meu Carrefour, 68% das vendas realizadas já são identificadas; o serviço que permite a retirada de produtos de carro – como um drive thru – já está disponível em dez lojas e uma parceria com o Inovabra está em vigor, garantindo um relacionamento mais próximo com startups.

Crescimento sustentável

A transformação, entretanto, não é apenas digital. Quando o assunto é sustentabilidade, a dedicação do Carrefour vai da produção dos produtos à gôndola. Prova disso são ações como uma parceria com a SeaFood Watch, que garante o estudo de espécies ameaçadas de extinção do Brasil e ações de rastreabilidade.

Na ponta do relacionamento, a empresa pretende dobrar a venda de orgânicos até 2020 e, hoje, já evita o desperdício de alimentos por meio do programa Únicos, que oferece 30% de desconto em frutas e legumes fora do padrão estético.

Prioux revela o Carrefour tem a intenção de levar a todo o País a oportunidade e as condições de ter uma alimentação saudável e orgânica, baixando os preços e estendendo a oferta para fora do Estado de São Paulo. “Vamos desenvolver esse tema, tornando produtos mais acessíveis e entendendo, a partir da opinião dos clientes, quais produtos ainda precisamos oferecer”, diz. Além disso, o Carrefour vai investir cada vez mais na conexão com produtores regionais.