WGSN revela 9 tendências de consumo

Estudo de tendências foi apresentado durante a comemoração de 30 anos da P&G no Brasil. Ele considera família, diversidade e sustentabilidade como pilares

Por: - 9 meses atrás

Uma das líderes mundiais em previsão de tendências, a WGSN divulgou, durante a comemoração dos 30 anos da P&G no Brasil, um estudo encomendado pela marca de bens de consumo que mapeia as principais tendências de comportamento dos brasileiros para os próximos dois anos.

O levantamento levou em conta os principais movimentos, demandas e desejos relacionados a três temas-chave para o diálogo com os consumidores: diversidade, sustentabilidade, família. “Desde que chegamos aqui, nosso objetivo sempre foi vencer com o consumidor brasileiro e melhorar suas vidas com produtos e soluções inovadoras. Isso só é possível com investimento no conhecimento de seus hábitos, necessidades e crenças”, disse Juliana Azevedo, presidente da P&G Brasil.

Veja, a seguir, os principais destaques da pesquisa:

Pilar: sustentabilidade

1- Sistemas ecossociais: a grande maioria dos entrevistados avalia que, no futuro, será essencial multiplicar as atitudes positivas e pensar na redução, reutilização, recuperação e reciclagem de materiais e de energia

2- Um mundo pós-plástico: nessa outra tendência apontada pelo estudo, os brasileiros dizem acreditar que fabricantes de produtos de limpeza e beleza buscarão soluções que evitem a utilização do plástico. Os consumidores pensam “além do canudo”, mas o desprendimento é difícil, já que o material é altamente utilizado

3- Descartáveis renováveis: o terceiro conceito revela a crença de que o reaproveitamento de materiais não será mais nichado. A compra de produtos reutilizados se tornaria cada vez mais acessível

Pilar: diversidade

4- A nova maioria: a tendência é de que grupos antes marginalizados serão mais ouvidos, ganhando voz política. “Teremos, pela primeira vez, uma maioria formada por minorias”, disse Luiz Arruda, head de mindset da WGSN na América Latina. A percepção é de que a exclusão histórica de diversas minorias não é mais aceita, e a educação é chave para quebrar essas barreiras. Além disso, os entrevistados acreditam que esse é um movimento que começa entre os mais jovens, mas já atinge os mais velhos

5- Beleza fora do padrão: será cada vez mais aceita e, inclusive, usada em campanhas de comunicação de grandes empresas. Os respondentes acreditam que as empresas estão se tornando cada vez mais responsáveis por “levantar a bandeira da diversidade”.

6- Os imperfeccionistas: as pessoas passarão a aceitar mais as suas falhas A quebra dos padrões estéticos ganha força, principalmente, entre os mais jovens, que enxergam imperfeições e defeitos como traços que reforçam a personalidade. “Para a P&G, entender como os consumidores enxergam conceitos relacionados à diversidade é de extrema importância, uma vez que essa é uma questão fundamental na construção da cultura da nossa organização”, analisou Juliana.

Pilar: família

7- Co-parenting: menos casais e mais duplas. No futuro, a criação dos filhos ampliará o número de configurações possíveis. Isso se deve, principalmente, ao fato de os millennials estarem redefinindo o significado da paternidade, sendo a principal geração a enraizar a ideia da educação em conjunto. Para os entrevistados, os modelos não-tradicionais de família estão presentes há muito tempo, mas só vem ganhando projeção nos últimos anos, e os estereótipos de gênero, enraizados no cotidiano, começaram a se diluir

8- Pais conectados: são pais que buscam trocar experiências e aprendizados online

9- Maternidade real: mais humanizada, a maternidade terá seus desafios abertamente discutidos