Inteligência de dados pode ser propulsora de negócios na América Latina, diz estudo do MIT

Abordagem centrada no cliente é característica em comum entre os líderes respondentes da América Latina. Expansão da tecnologia é vista como grande oportunidade

Por: - 1 mês atrás

A pesquisa Evolution Report Latam, conduzida pelo MIT Technology Review, trouxe um panorama sobre ações recentes e futuras de inteligência de dados para a evolução de negócios. Os insumos coletados com mais de 2.300 líderes globais de TI e negócios trouxe recortes de quatro países da América Latina: Brasil, Argentina, México e Colômbia.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

A abordagem centrada no cliente é uma característica comum entre os respondentes, de modo que 93% dos líderes na América Latina utilizam esse conceito para a aplicação de dados. Ao serem perguntados sobre o papel dos dados na melhora dos negócios, 89% concordaram que o uso da ferramenta é fundamental. A porcentagem se manteve em 89% de opiniões semelhantes quando perguntados sobre a importância para o crescimento do negócios.

A pesquisa também reforçou que a aplicação de inteligência artificial já está consolidada no mercado, de modo que para 73% dos entrevistados responderam que já utilizavam o termo “IA” anteriormente. O outro lado da moeda é que, talvez, essa definição pode ser um empecilho para uma compreensão mais ampla do potencial da tecnologia nos negócios. Atualmente, o termo é utilizado apenas para apontar uma ferramenta de robôs e bate-papo, quando na verdade essa tecnologia pode ser utilizada como importante agente para desbloquear uma robusta inteligência de dados.

O levantamento também trouxe inputs sobre as possibilidades que a aplicação de inteligência artificial pode gerar no âmbito competitivo. 84% dos entrevistados compreendem a vantagem que os dados podem fornecer e, também, acham a análise ágil como um aspecto fundamental no modelo de negócio.

Recorte Brasil

A pesquisa contou com a participação de 149 tomadores de decisão do Brasil. O relatório trouxe três gargalos que ainda dificultam a adoção da tecnologia: custo e o orçamento; participação e participação dos stakeholders e obstáculos de recursos e talentos. Entre os líderes que responderam à pesquisa no Brasil, 94% acreditam que IA proporcionaria mais tempo para projetar criativamente os desafios da empresa.

Com informações do portal Tiinside.