Entenda como startups americanas estão atuando na experiência superior do cliente

A NRF selecionou diversas startups que se dedicam a criar ideias e soluções que podem melhorar a experiência dos consumidores. Confira as ideias

Por: - 8 meses atrás

Por Jacques Meir e Fabiana Zuanon

Os avanços da omnicanalidade e das plataformas de tecnologia permitiram que os consumidores comprassem qualquer coisa, em qualquer lugar e a qualquer momento. Esse movimento forçou os varejistas a se adaptar, ainde que reticentes ou desconfiados. Mas proporcionar uma experiência superior ao cliente está na ordem do dia. A NRF promoveu apresentações de startups selecionadas de seu innovation lab para mostrar novas soluções e ideias que colaboram para redimensionar a experiencia do cliente.

Entre os profissionais e startups que puderam se apresentar, tivemos:

Alex Adelina, CEO da Lolli (recompensas em bitcoins para consumidores), Pano Anthos, CEO da XRC Labs (criação de experiencias inovadoras para consumidores), Gabrielle Chow, fundadora da Allure Systems (soluções para varejistas que querem direcionar ofertas para grupos bem segmentados de clientes), Adam Levene, fundador da Hero (conecta milhões de varejistas de lojas físicas com clientes que querem assistência on-line), Asaf Shapira, fundador da Mystore-E (soluções de marketing para o varejo) e Oliver Tan, fundador da ViSenze (Inteligência Artificial para o varejo).

Gabrielle Chow, da Allure, criou uma solução baseada em imagens para criar conexões mais emocionais e inclusivas entre o varejo, principalmente de moda com seus consumidores. A Allure desenvolveu um sistema que modifica a forma de se tirar as fotos – pensando em modelos virtuais que espelham os diversos tipos de pessoas. A empresa “virtualiza” a modelo e a desdobra em diversos corpos, combinando com os modelos para mostrar como uma peça de roupa funciona em pessoas diferentes. Assim, reduz custos e permite que lojas de moda mostrem-se mais acessíveis e inclusivas.

Já a Hero trabalha no espaço omnicanal, fazendo com que os trabalhadores das redes varejistas possam interagir com os consumidores on-line. A ideia básica é atender clientes que gostam da loja física sem que precisem ir até ela. É a experiencia omnicanal mais abrangente, maximizando cada espaço da loja física, na medida em que um vendedor pode se deslocar pela loja e mostrar o produto fisicamente em sua mão. Imagine que você esteja fazendo uma copra on-line, e ao abrir uma janela de chat, fale diretamente com um vendedor na loja física. A partir daí, a integração on-off acontece. Os dados mostram que os compradores lastram 10 vezes mais propensão a compra do que no formato on-line puro.

Asmar Shapira contou que adora comprar e que por isso dedica-se a criar melhores experiencias de compra. Para ele, as lojas on-line ainda são muito lentas. E as lojas físicas, mais ainda. Essa foi a inspiração da criação de Toree, sua IA, que interpreta os dados e melhora a performance das lojas a partir da compreensão exata do que os consumidores querem. Toree ajuda as lojas a serem mais conectadas e relevantes.

A startup ViSenze trabalha com pesquisa visual para desenvolver melhores experiências. Suas pesquisas mostraram que mais de 60% das pessoas que não sabem exatamente o que desejam, fazem pesquisas baseadas em imagens. Como resolver esse problema de busca: não encontrar a imagem que corresponda ao seu desejo? A ferramenta da ViSenze, baseada em um algoritmo que aprende com as buscas de imagens dos consumidores, aprimora a assistência da venda. Sua busca visual rapidamente associa a necessidade do cliente à uma loja que tenha o produto procurado. E na sequência, leva o consumidor para a loja ou até mesmo para uma visita com hora marcada.

A Lolli trabalha com bitcoins. O cliente adota uma carteira digital da Lolli e quanto mais compra nas lojas associadas, mais ganha créditos em bitcoins que podem ser utilizados em novas compras. Um programa de fidelidade baseado em moeda digital, que traz itens de segurança e confiabilidade para as transações.

A diversidade de soluções apresentadas já aponta um novo momento do varejo, onde a inovação se ramifica e se desdobra para múltiplos aspectos da experiência. Fica a inspiração para que possamos ver ideias provocativas assim no Brasil.