O que vem por aí em tecnologia de pagamentos?

Em artigo, Fernando Pantaleão, vice-presidente da Visa, analisa as tendências que devem predominar nos meios de pagamento em 2019. Confira

Por: - 6 meses atrás

**Por Fernando Pantaleão

A indústria de meios eletrônicos de pagamentos é uma das mais dinâmicas da economia e evolui todos os anos. Tendo isso como fato, listo a seguir como as novas tecnologias e a inovação aberta e colaborativa entre players e parceiros continuarão impulsionando esse mercado em 2019.

1- Checkouts mais ágeis

O ponto de venda pode ser um desktop, um smartphone ou um tablet – ou, em breve, qualquer dispositivo conectado pela Internet das Coisas. O consumidor valoriza a praticidade, a rapidez e a simplicidade do ambiente online. E o pagamento virou uma parte fundamental desta experiência. Os checkouts estão cada vez mais descomplicados e seguros e a ideia é que se tornem praticamente imperceptíveis. Afinal, alternativas que poupam tempo podem ser tão valiosas quanto um cupom de desconto.

2- Novos dispositivos de compra

Um recente estudo da Visa revelou que, nos Estados Unidos, cerca de 36% dos consumidores pesquisados possuíam seis ou mais dispositivos conectados e apontavam a comodidade como o principal motivador para a compra online. O gadget da vez é o assistente virtual ativado por voz, que começa a ganhar espaço. O número de americanos que possuíam assistentes virtuais subiu de 14% para 27% no último ano. Entre eles, 28% haviam realizado compras pelo dispositivo nos sete dias anteriores à pesquisa, principalmente de supermercado (5%), refeições prontas (4%) e vestuário (4%).

3- Pagamento por aproximação

Os wearables (pulseiras, relógios ou outros itens com tecnologia de pagamento por aproximação) e os pays (pagamento por celulares) já demonstram todo seu potencial de eficiência operacional, pois reduzem os custos ligados à manipulação do dinheiro em espécie e o tempo dos clientes nas filas. Segundo projeções, 77% dos terminais de pagamento atuarão por aproximação até 2020 em todo o mundo (Fonte: Timetric Report, 2016). Na Visa, pagamentos por aproximação já são predominantes na Austrália (92% das transações são contactless), Nova Zelândia (72%), Singapura (63%) e em países da Europa (40%). Esse movimento não ocorre só no exterior. No Brasil, já existem mais de 3 milhões de terminais habilitados para pagamentos por aproximação, mais que 2/3 de todos disponíveis no mercado. E os mobile payments chegaram com força. Dados da Visa apontam que a movimentação por esse tipo de dispositivo cresceu 431% em número de transações no primeiro semestre de 2018 em relação ao mesmo período do ano anterior.

4- Vendedor ou concierge?

As novas tecnologias também podem ajudar o varejista a entender as preferências de cada consumidor. Dessa forma, seus funcionários se dedicarão a atividades de alto valor, trabalhando com sistemas de dados contextuais que lhes darão informações sobre os interesses e preferências individuais de cada comprador, o que torna toda a experiência no varejo mais próxima de um serviço de concierge. Os vendedores vão esclarecer as dúvidas dos clientes e atender desejos específicos, como em uma curadoria de produtos ou serviços. Parte desses dados poderão vir de estudos e análises preparadas sob demanda por empresas de meios eletrônicos de pagamento, que possuem uma imensa quantidade de informações em suas bases de transações e podem contribuir com experiências mais personalizadas.

5-Biometria e tokenização

Manter os pagamentos e os dados seguros em todo o ecossistema financeiro continua sendo uma missão crítica para as empresas de meios eletrônicos de pagamento. A Visa já prevê que a biometria e a autenticação comportamental baseada em risco podem provocar a eliminação da necessidade de senhas em apenas cinco anos. Segundo pesquisa encomendada pela empresa, os brasileiros têm uma forte percepção de que a biometria é mais rápida (85%) e mais fácil de utilizar (89%) do que senhas.

A tokenização, que substitui os detalhes do cartão por um identificador digital inútil para possíveis fraudadores, também está cada vez mais presente. A Visa já tem mais de 60 parceiros globais utilizando tokens.

Com todas essas tendências tornando-se realidade, em 2019 vamos apostar em soluções que nos mantenham à frente desse turbilhão de acontecimentos para proporcionar a melhor experiência e segurança aos nossos clientes e aos portadores de cartões Visa.

**Fernando Pantaleão é vice-presidente da Visa do Brasil