O mundo do entretenimento pós-Netflix

A Campus Party é o palco perfeito para ficção científica. Uma das maluquices discutidas por lá foi o futuro pós-Netflix. Veja

Por: - 1 mês atrás

Crédito: Unsplash

Um dos principais atrativos da Campus Party é o apelo sci-fi das palestras e que se enveredam por temas que lembram um enredo de filme de ficção científica. Um deles discutiu o futuro do entretenimento em um mundo pós-Netflix. Afinal, o que poderia superar essa plataforma de streaming de vídeo? Um caminho possível não discute necessariamente o meio, mas o conteúdo: e ele será você.

Ligia Zotini, pesquisadora sobre o futuro e co-fundadora do Voicers, palestrou na Campus Party e falou sobre a relação homem-máquina no futuro. Em um determinado momento do encontro, ela falou sobre o futuro do entretenimento e o resultado, aparentemente, é bem interessante.

Segundo ela, o passo seguinte do entretenimento passa por conteúdos de realidades virtual e aumentada. Até aí nenhuma novidade para quem acompanha esse tipo de evolução tecnológica. A questão é o conteúdo. Ligia afirma que conteúdo do futuro inclui uma viagem ao passado por meio da recriação virtual de uma cena vivida há 10 anos por meio de uma foto e/ou vídeo.

Fotogrametria

O Facebook , por exemplo, está desenvolvendo um conteúdo justamente nessa linha por meio de uma ideia chamada fotogrametria. Em linhas gerais, a ideia consiste no uso de fotos e até vídeos (bidimensionais) para até recriar a mesma imagem em um universo 3D. Para que isso ocorra, a rede social depende das fotos e vídeos publicadas na linha do tempo. Esse conteúdo é enviado para uma inteligência artificial, que reconstrói o local da foto por meio de pontos de nuvens.
Os primeiros resultados foram apresentados no ano passado, durante o evento anual da empresa, o F8. No vídeo abaixo, a porta voz responsável por apresentar a novidade, Rachel Franklin, diretora de realidade virtual social do Facebook, fala sobre o assunto:

A partir dessa ideia, defende Lígia, seria possível retornar 10 anos no tempo e reviver um aniversário, por exemplo. E até mesmo um fato histórico conhecido. “A questão será: eu prefiro ver o House of Cards ou um episódio da sua vida de 10 anos atrás? Quanto você pagaria para ver um aniversário ou uma narrativa da sua vida do passado?”, afirma.

O meio visualizar esse conteúdo dependerá da evolução dos dispositivos até um possível lançamento comercial da ideia. No entanto, Hoje, essa ideia passa pelo Oculus Go, o dispositivo de realidade virtual da companhia e que funciona, inclusive, como uma rede social dentro do universo RV.

Veja o vídeo do Oculus Go: