EDP inova com hackathon destinado a comunidade tecnológica

Companhia de energia lança desafio que premiará vencedor com 5 mil euros, o que representa aproximadamente 20 mil reais. Saiba mais

Por: - 4 semanas atrás

Inovação é uma palavra que sai do discurso na EDP, companhia que atua em toda a cadeia de valor do setor elétrico. A companhia lançou um desafio a estudantes, acadêmicos, startups e toda a comunidade tecnológica para analisar dados operacionais de suas usinas, mapear desafios relacionados ao negócio e buscar soluções de problemas operacionais de turbinas eólicas. O vencedor do hackathon – maratona de programação -, receberá a premiação de 5 mil euros, o que dá por volta de 20 mil reais.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

Para Lívia Brando, gestora executiva de inovação da EDP, a ação abre diversas possibilidades de atuação. “Trata-se de uma plataforma open data, onde podem se inscrever cientistas de dados, hackers, etc. Ele pode fazer o download com dados reais de unidades de negócios de geração de energia, temperatura e interferências na criação de energia eólica”, explica. A executiva acrescenta que o canal surgiu com proposta democrática na participação. “Numa plataforma online qualquer pessoa pode participar. A ideia do lançamento foi essa. Como ela será permanente, devem entrar outros dados novos” disse.

Os interessados em participar devem desenvolver um modelo de previsão de falhas para turbinas eólicas com proposta de antecipar possíveis manutenções e, consequentemente, diminuir o tempo de parada nas usinas de geração de energia renovável. Os finalistas deverão apresentar seus projetos a um corpo técnico de profissionais da companhia.

Lívia Brando explica que a iniciativa surge na esteira de um interesse crescente de analytics nas melhores práticas do mercado. “O que temos visto é que essa área de dados e analytics tem crescido muito. Existe uma comunidade interna (na EDP) bem forte nesse segmento e eles começaram a se juntar para criar informações para resolver problemas. Vimos a oportunidade e expandir isso para o mercado. A ideia é soltar desafios, porque algoritmo não tem patente, é muito mais para compartilhar aprendizado. O objetivo é se apresentar a esse ecossistema externo e, também, a troca entre pessoas de dentro para fora da empresa, observando possíveis talentos”, explica.

Inovação em outras frentes

A EDP atua sob o conceito de inovação aberta, de modo que a empresa desenvolve outras ações nesse contexto. “Temos várias outras iniciativas apoiadas nesse conceito de inovação aberta, desde startups, parceiros de negócios, instituições acadêmicas, etc. Temos um outro programa voltado para aceleração de startups, onde a ideia é observar tecnologias no mercado e convidamos essas empresas a trabalharem e aplicarem essa tecnologia no setor de energia”, conclui Lívia. Uma vez que a parceria com a startup se consolida, ela pode virar um fornecedor, partir para um modelo conjunto, ou até mesmo um investimento em equity.