A Diesel está perguntando: quanto custa ser popular nas redes sociais?

A marca tem elevado o tom da linguagem irônica tanto em sua produção de moda quanto nas campanhas de mídia. Confira os filmes

Por: - 2 meses atrás

A Diesel resolveu virar o jogo na relação entre influenciadores e seguidores em sua nova campanha publicitária, divulgada no início deste mês. A marca americana de moda colocou influencers americanos como Jennifer Grace, Amixxa e Ayaxxa Miaya e Bloody Osiris em uma situação de constrangimento pela necessidade de estar sempre cedendo às pressões sociais.

A ideia é ressaltar o estilo despojado de quem aprecia e veste as roupas da Diesel, que são voltadas para um público mais jovem e preocupado em se mostrar fora das exigências herméticas da moda clássica e de um mundo de aparências. A campanha apresenta a coleção primavera-verão da marca para 2019 e tem como tema “seja um seguidor”, que contesta o frenesi de ser celebridade nas redes sociais.

Uma pesquisa publicada na revista acadêmica Journal of Social And Clinical Psychology em novembro do ano analisou o humor de usuários do Facebook, Instagram e Snapchat e revelou uma relação entre a frequência do uso de redes sociais com quadros de depressão e solidão. Quanto mais se usa as redes, maior a chance de aprofundar as doenças mentais em questão.

A explicação principal que o estudo tem para esse efeito paradoxal das redes sociais é: comparação. “Quando você olha para a vida de outras pessoas, particularmente no Instagram, é fácil concluir que a vida de todos é mais legal ou melhor que a sua”, disse Melissa G. Hunt, líder da pesquisa. A especialista não sugere o abandono das redes, mas um uso menos frequente.

Ironia como resposta

A marca tem apostado na ironia e na irreverência em suas últimas campanhas desde o ano passado, quando cutucou a cultura de trolls e haters nas redes sociais, que têm causado de maneira crescente tanto a desestabilização de pessoas e marcas quanto a promoção de figuras públicas e influenciadores digitais.

A necessidade de ser pop na internet dos anos 2010 se assemelha à de ter um lugar na TV nos anos 90. A moda dominante é rapidamente contestada pela contracultura. A resposta costuma vir na mesma intensidade. Por isso, a Diesel tem levado para suas campanhas a essência da moda irônica, que emergiu nos anos 90, voltou para o armário e está colocando novamente as asas para fora. A ironia na comunicação pós-rede social é alavancada pelo poder dos memes, que transforma tudo que é “sagrado” em “profano”.

Confira os vídeos da campanha: