Chatbots devem reduzir custos operacionais em bancos em US$ 7,3 bilhões até 2023

Consolidação de ferramentas de Inteligência Artificial no setor bancário devem apresentar robusta redução de custos. Área de seguros também será impactada

Levantamento realizado pela Juniper Reseach revelou que o desempenho de chatbots cada vez mais eficientes deve resultar em significativa economia nos custos operacionais do setor bancário. Globalmente, a cifra que deve ser economizada pode chegar a US$ 7,3 bilhões. Na prática, isso representa 862 milhões de horas até 2023.

Confira a edição online da revista Consumidor Moderno!

A pesquisa “AI em Fintech: Roboadvisors, Lending, Insurtech & Regtech 2019-2023” destaca que a eficiência dos robôs para serviços financeiros deve – além de gerar economia nos custos -, também deve resolver demandas de consumidores de forma cada vez mais automatizada.

Conforme o NLP (Natural Language Processing) avança e a especialização de domínio é adicionada às plataformas de inteligência artificial, os bots têm apresentado entrega de serviços contínua que deve impulsionar a adoção da ferramenta de forma definitiva em empresas do setor. Para se ter uma ideia, a estimativa é que ocorra um crescimento de quase 3.150% em interações bem sucedidas no segmento entre 2019 e 2023.

Perspectivas para sinistros de seguros

O levantamento também mapeou o impacto da inteligência artificial na gestão de sinistros, de modo que a redução de custos deve atingir quase US$ 1,3 bilhão até 2023 re relação a apólices de seguro auto, vida, prosperidade e seguro de saúde.

Neste contexto, os chatbos devem automatizar a coleta de dados pós-acidente, usando IA para a análise de detalhes e imagens fornecidos com o uso de visão computacional. De quebra, essas práticas devem economizar recursos de seguradoras e reduzir o tempo para reclamar de liquidação, o que resulta em melhor desempenho na fidelidade de consumidores.

Com informações do Tiinside. 

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS
Publicidade sidebar

Vídeos

VEJA MAIS

Revista Consumidor Moderno

VEJA MAIS