Indicador de comportamento impediu que 17,5 milhões viajassem de avião na China

Também conhecido como score social, o indicador criado pelo governo chinês impediu que 17,5 milhões de pessoas viajassem de avião no ano passado. Entenda

Por: - 4 meses atrás

Crédito: Unsplash

O governo chinês impediu que 17,5 milhões de pessoas comprassem passagens de avião no ano passado como forma de punição por alguns crimes, incluindo a falta de pagamento de multas e que afeta diretamente o controverso “score social” existente na China. A informação é jornal britânico The Independent.

O score social é uma ideia que parece ter saído de um filme ou série de ficção científica. Inspirado no score financeiro (índice que mede, entre outras coisas, o pagamento em dia de suas dívidas), o score social mede diversos campos da sua vida: pessoas com quem mantém um círculo de amizade, compras realizadas, filmes assistidos e até mesmo as suas postagens nas redes sociais. Outra diferença é que o score financeiro é controlado por um banco, enquanto que o social é vigiado pelo governo.

Essa ideia vem sendo testada desde 2014 e leva o nome de Sesame Credit ou Zhima Credit. Criado pelo Conselho de Estado da China, ele começou a ser usado nas relações de consumo na China. Além das passagens aéreas, a reportagem também afirma que cerca de 5,5 milhões de pessoas também foram proibidas de viajar de trem pelo mesmo motivo. A ideia, segundo alega a matéria, é melhorar o comportamento da população.

Controverso

O assunto é controverso e tem 0sido criticada por ativistas de direitos humanos, que afirmam que o score social poderá levar milhões de pessoas a ingressarem em uma lista negra do governo. Um desses críticos é o vice-presidente norte-americano, Mike Pence, que chamou o “sistema orwelliano” (uma referência George Orwell, escritor conhecido pelos contos fictícios de controles sociais extremos) baseado no controle de praticamente todas as faces da vida humana.

A China não se incomoda com as crítica e deve avançar nesse modelo no país. Outro exemplo de uso do score social ocorreu a partida da parceria entre a Ford e Alibaba. As duas empresas criaram uma vending machine gigantesca cuja ideia era “vender” um carro tal qual as pessoas adquirem latas de refrigerantes.

Tudo não passou de uma ação de marketing, mas uma ideia praticamente passou despercebida: além de comprar o carro também era possível fazer um test drive gratuito. Mas, para isso, o usuário precisava confirmar que o seu score social era acima de 700. Hoje, o Zhima tem uma pontuação que varia de 350 a 950.