Experiência até na conveniência: 7-Eleven quer clientes consumindo dentro da loja

Famosa pelo modelo “compre e leve”, a 7-Eleven, maior rede de lojas do mundo, está arrumando maneiras de deixar o consumidor mais tempo em suas lojas

Apesar de ser a maior operação de varejo do mundo em número de unidades, a 7-Eleven, especializada em vendas de conveniência, vem adotando uma estratégia de expansão agressiva e de novos conceitos de lojas.

Desta vez, a rede anunciou que seis lojas da rede, a primeira delas na cidade de Dallas (EUA), vão ter um espaço para que o cliente possa consumir seus produtos dentro da loja, rompendo a lógica que sempre funcionou na 7-Eleven, de pegar o produto e ir embora.

O experimento será feito em lojas de conveniência Laredo, da rede de postos de combustível Sunoco, adquirida no ano passado pela 7-Eleven e que agregou mais mil pontos de venda à já enorme cadeia de lojas da varejista.

Mais de 60 mil lojas

Só nos Estados Unidos e no Canadá, a 7-Eleven chegou ao número de 9,7 mil lojas. A rede é o principal case de expansão do varejo mundial em se tratando de número de lojas. Até meados do ano passado, a rede registrava 66,3 mil lojas pelo mundo.

Mesmo com esse tamanho colossal, a 7-Eleven continua ganhando terreno. “Abrimos uma loja a cada 1 hora e 25 minutos. E, na média, uma a cada 3 ou 4 horas no mundo”, disse Jerome Del Porto, vice-presidente Internacional da 7-Eleven. Só no primeiro trimestre do ano passado, foram inauguradas 1.700 novas lojas pelo mundo.

Aos 91 anos de idade, a 7-Eleven nasceu em Dallas, em 1927, para vender gelo. O maior mercado da marca é o Japão, com mais de 20 mil lojas (quase um terço do total). A China também recebe uma boa porção de pontos de venda da americana, são 2,6 mil unidades.

Problemas no franchising

A expansão inorgânica e a criação de novos modelos de loja pode significar uma saída para a 7-Eleven depois dos problemas com os franqueados que a empresa tem enfrentado pelo mundo.  A 7-Eleven anunciou um novo contrato para os franqueados a partir de 2019, o que exigiu uma taxa de reajuste de 50 mil dólares, além de aumento da franqueadora na participação dos lucros.

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Quanto custa abrir uma franquia de varejo no Brasil?

Home office é tendência de trabalho para 2020: veja 5 dicas

“Parasita”: Pessoas, baratas, parasitas e a diluição da identidade

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

Quais são as tendências para 2020. Veja a lista

VEJA MAIS