Terapia online funciona? Conheça benefícios e cuidados

No período em que as novas regras de atendimento psicológico à distância entram em vigor, especialista debate prós e contras da terapia online

Por: - 7 meses atrás

Terapia online funciona? Conheça benefícios e cuidados Crédito: Shutterstock

A era da internet é hoje uma facilitadora da vida cotidiana. Com um simples clique podemos pagar contas, fazer compras, conversar com os amigos e ir ainda mais longe… como fazer terapia, por exemplo.

Uma resolução do Conselho Federal de Psicologia, publicada em 2018, autoriza que os psicólogos façam consultas com os pacientes de forma virtual. O atendimento online é vedado quando o Conselho entende que o  presencial e o apoio de uma equipe mais completa sejam indispensáveis, como em casos de violência, surtos e acidentes graves.

Nesses casos, o psicólogo online deve encaminhar o paciente a uma equipe completa e ao atendimento presencial, como explica a psicanalista e pesquisadora Cláudia Catão, especialista em práticas clínicas mediadas por tecnologia da Universidade de São Paulo (USP).

“A gente não pode atender emergência online, pacientes com surtos, tentativas de suicídio, com instabilidade. Quanto maior a complexidade, menos online precisa ser”, ressalta.

LEIA MAIS: Confira a edição online da Revista Consumidor Moderno! 

Atendimento

Antes de marcar a terapia online, segundo Cláudia, é importante ver o currículo do profissional e se ele tem cadastro no Conselho Regional de Psicologia. Além disso, a qualidade dos aparelhos tecnológicos para vídeo e a conexão com internet devem ser checados.

O psicólogo ainda deve especificar a plataforma usada para assegurar ao paciente o sigilo das informações. Para a especialista, serviços de mensagens como o Whatsapp, por exemplo, são inadequados para a prática da terapia pela internet.

“De acordo com a regulamentação do serviço no Conselho Federal de Psicologia, o psicólogo é um prestador de serviço como qualquer outro e nesse sentido, somos responsáveis por garantir o sigilo das informações e dos dados dos pacientes. Então, o Whatsapp, por exemplo, não é um meio adequado para terapia online. O consumidor precisa ser crítico”, enfatiza.

E realmente funciona?

Sobre o funcionamento e benefícios garantidos por esse tipo de método, Cláudia afirma que a utilização de tecnologia no tratamento de saúde mental é importante, principalmente para ampliar o acesso ao tratamento.

“A utilização da tecnologia no tratamento de saúde mental é muito importante, porque ela é a única capaz de reduzir a desigualdade do acesso desse tipo de tratamento. Usar a tecnologia de forma responsável pode ser uma revolução na saúde mental. Se eu tiver trabalhando em um ambiente seguro com um profissional habilitado, eu consigo muitos resultados positivos com qualidade”, diz.

Em relação ao atendimento de forma presencial, Cláudia confirma que ele realmente não é igual.

“Não é igual. Porque você não está inteiramente com o seu corpo presente e isso faz a diferença. As pessoas limitam essa resposta, mas tem coisas que são ditas no silêncio e isso a gente não tem, nós temos aquilo que a câmera foi capaz de mostrar para nós e mais nada”, conta.

Cláudia enfatiza que o online deve surgir como uma alternativa e não pode ser transformado em primeira opção. “Quanto mais conectada for a geração, mais presencial ela vai precisar. É muito importante que a gente não banalize o contato presencial”, finaliza.

Experiência

Isadora Miranda começou a fazer terapia quando ainda tinha 14 anos e de forma presencial. A veterinária de 26 anos encontrou o serviço de terapia online pelo Instagram.

De acordo com ela, os maiores benefícios desse tipo de serviço são a comodidade e flexibilidade de horário, já que não trabalha em horário comercial.

“Eu trabalho no domingo, plantão de 24 horas, então eu tenho uma rotina diferente. Contar com a minha terapeuta no horário na terça-feira, às 22h, por exemplo, é perfeito para mim, algo que provavelmente eu não conseguiria com alguém de forma presencial”, declara.

Para a veterinária, a terapia online é melhor indicada para aqueles que já experimentaram a versão offline do tratamento.“Se você já fez terapia uma vez e teve algum empecilho, procure uma terapia online. Eu acho tão válida quanto e tão eficaz quanto. É como se fosse um encontro, você vai escolher um profissional e você vai se encontrar com ele. Isso pode dar certo ou não. O importante é encontrar um profissional que você confie, que você entenda e trabalhar com ele”, relata.

Plataforma

Um dos sites que oferecem o serviço online de psicoterapia é o FalaFreud, criado em 2016 por Yonathan Faber. De acordo com o CEO, os números da plataforma já ultrapassam a marca de um milhão de usuários cadastrados e ativos. Para usar, basta criar uma conta e escolher o serviço.

“O usuário cria uma conta, escolhe um psicólogo e responde um questionário com dez a quinze perguntas, dependendo das respostas que você der, o questionário fica um pouco maior ou menor, e dependendo das respostas, a gente tenta conhecer o seu perfil e se adequar ao psicólogo. Depois disso, ele vai determinar o tratamento, número de sessões e escolhe quantas sessões quer fazer por mês de acordo com a sua necessidade e assina o plano”, conta Faber.

Em relação ao número de profissionais para atendimento, o CEO afirma que mais de 4 mil estão cadastrados na FalaFreud e que o fluxo é feito de acordo com a oferta e demanda de usuários. Para Faber, alguns dos benefícios da terapia online são a praticidade, a diminuição de gastos e o dinamismo do tratamento, principalmente para quem mora fora do Brasil e tem dificuldades com outros idiomas.

“Se você está em um país estrangeiro e não domina muito bem o idioma, você vai falar com o psicólogo do Brasil pela terapia online. É melhor você poder falar com alguém que te entenda e que você entenda também”, completa.