Nova rede social brasileira paga usuários por conteúdo publicado

DomiPay mistura fintech e rede social para monetizar a criatividade do usuário e estimula a produção e divulgação de conteúdo de influenciadores digitais

Por: - 1 mês atrás

Nova rede social brasileira paga usuários por conteúdo publicado Crédito: Shutterstock

Uma nova rede social brasileira promete pagar usuários pelos seus conteúdos publicados. A DomiPay, fintech, mistura o conceito de rede para monetizar a criatividade do internauta na produção e divulgação de material.

A plataforma tem como objetivo ser um canal de divulgação para criadores de conteúdo e influenciadores digitais.

Segundo Jackson Ferreira, um dos criadores da DomiPay, a ideia do projeto é promover conteúdo em um espaço tão disputado como o da internet. “Na nossa rede social, o usuário vai poder aumentar o alcance das suas publicações empresariais e também incentivar a comercialização de produtos. É uma ferramenta bastante poderosa para formadores de opinião como é o caso dos influenciadores digitais”, explica.

Lançada recentemente, a DomiPay já atingiu uma base de quase 3000 usuários. Uma outra novidade oferecida pela fintech é o DomiCofre, um espaço digital para o usuário da rede social guardar os valores adquiridos na plataforma. Além disso, ele também pode investir o dinheiro recolhido em busca de novos rendimentos.

LEIA MAIS: Confira a edição online da Revista Consumidor Moderno! 

Outras redes

Com mais de 2,32 bilhões de pessoas cadastradas na rede e um faturamento de US$ 55 bilhões em 2018, mesmo após os escândalos de vazamento de dados , o Facebook começou a remunerar seus usuários em casos específicos de vídeos.

A divisão de rendimento é a mesma aplicada pelo YouTube, com 55% dos valores arrecadados com publicidade destinados ao criador e o restante, 45%, para a rede social. Mas não é tão simples assim conseguir dinheiro com o Facebook. Para alcançar o feito, segundo o site Re/Code, a remuneração só chega a trabalhos que aparecerem no Suggested Videos ou Vídeos Sugeridos.

Já o Instagram, por exemplo, não oferece nenhuma remuneração ao usuário, exceto as estratégias e o modelo de propaganda feita pelos influenciadores digitais com cobrança por postagem de divulgação de marcas, entre outros.

VEJA TAMBÉM: Nubank lança a sua “rede social”