“Tecnologia caminha ao lado da humanização”, diz novo diretor do iFood

Em entrevista à Consumidor Moderno, Arnaldo Bertolaccini, novo diretor de Experiência do Cliente do iFood, comenta as perspectivas da empresa para 2019

Mesmo em cenário econômico desfavorável, o iFood –  pertencente à segunda geração de empresas digitais no Brasil -, segue crescendo três dígitos anualmente em números de pedidos. Mirando no consumidor final, a foodtech apresentou Arnaldo Bertolaccini como seu novo diretor de experiência do cliente. Ele será responsável por coordenar uma nova estruturação do setor que envolve muito mais do que a experiência do cliente no final da compra.

“Tecnologia caminha muito ao lado da humanização para nós. Queremos oferecer tecnologia e otimização sobre assuntos de baixo nível de resolução, porém, a humanização ainda faz toda a diferença em outras pontas”, afirmou.

A Consumidor Moderno conversou com o executivo para saber sobre as expectativas da empresa diante de um cenário de profundas mudanças nos perfis de consumo.

Confira a entrevista:

Consumidor Moderno: O Brasil passa por um momento de incertezas no que se refere ao consumo. Qual é a avaliação que você faz da evolução de crescimento no mercado brasileiro?

Arnaldo Bertollacini: Hoje somos líderes no serviço de Delivery na América Larina e completamos 17 milhões e meio de pedidos mensalmente, uma marca superimportante. Mais de 12.6 milhões de usuários fizeram esses pedidos. Nossa perspectiva é continuar nesse movimento de crescimento e vemos que há muito potencial nesse mercado de food delivery. Apenas nos últimos 12 meses houve um crescimento de 130% nos últimos 12 meses em número de pedidos.

CM: O consumidor brasileiro se adaptou completamente ao formato de refeições via delivery. Qual a estratégia da empresa para se diferenciar dos outros players do mercado que oferecem a mesma solução?

AB: Focamos muito em oferecer uma experiência incrível para os nossos clientes, garantindo uma ótima oferta de restaurantes e, consequentemente, uma boa experiência no processo de entrega. A junção de boas experiências no aplicativo, entrega e seleção, são atrativos para que o cliente goste do formato delivery no Brasil. Nossa meta é seguir evoluindo nesse mercado.

CM: O mercado americano incorporou formatos de personalização como dashbuttons para realizar pedidos de comida. O Ifood fez uma experiência de teste em 2017 no Brasil. Existe alguma previsão de experiências semelhantes?

AB: O iFood é uma empresa de tecnologia e consideramos todas as soluções disruptivas na nossa estratégia. Temos trabalhado em soluções inovadoras que esse mercado necessita, o que posso dizer é que em breve vamos lançar algumas novidades. Já lançamos algumas coisas interessantes recentemente, como por exemplo, o modelo de entrega iFood Box, que são armários que disponibilizamos em vários pontos de SP onde o cliente pode fazer a retirada dos pedidos.

CM: Quais métricas vocês usam para entender as necessidades de cada cliente iFood (restaurantes, entregadores e consumidor final)? Quais são as prioridades de ação nesse momento?

AB: Temos três grandes frentes para aprimorar no momento, que vão melhorar a experiência de todos os envolvidos na experiência do cliente, desde os restaurante até as entregas.

  • Focar no autosserviço do nosso app: isso vai aumentar muito a velocidade do serviço para todas as pessoas envolvidas no processo de compra e entrega
  • Capacitação: acreditamos muito que boa parte de nossas interações vá acontecer por pessoas que conseguem compreender melhor os anseios dos usuários
  • Inteligência artificial: imaginamos que isso ocupará um papel bastante preditivo de saber previamente como está ocorrendo a experiência desse cliente e vai permitir que sejamos proativos na solução dessas demandas

CM: Como construir um relacionamento humanizado diante do uso da tecnologia? Ter essa relação mais próxima é importante para fidelizar o consumidor?

AB: Tecnologia caminha muito ao lado da humanização para nós. Queremos oferecer tecnologia e otimização sobre assuntos de baixo nível de resolução, porém, a humanização ainda faz toda a diferença em outras pontas. Precisamos garantir que essa humanização seja aprimorada e melhor ainda do que ela já é.

LEIA TAMBÉM: Conheça o iFood Box, nova solução do aplicativo para entregas

“Tecnologia caminha ao lado da humanização”, diz novo diretor do iFood

Arnaldo Bertolaccini, novo diretor de Experiência do Cliente do iFood

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

As IDENTIDADES do novo consumidor sem rótulos #CM25ANOS

Futuro incerto? O que pensam os futuristas em tempos de crise social

“Contágio” e outros filmes sobre epidemias para ver dentro de casa

Manu Gavassi e sua brilhante estratégia de branding. O que as marcas podem aprender com ela?

A ascenção das newsletters

VEJA MAIS