Mobile banking cresce e se consolida como preferido dos correntistas

Levantamento realizado pela FEBRABAN indica que canal se tornou o preferido dos correntistas, ultrapassando transações feitas por internet banking

Por: - 2 meses atrás

Mobile banking cresce e se consolida como canal preferido dos correntistas Shutterstock

O mobile banking se tornou o canal preferido dos correntistas, tanto para efetuar transações, consultas e até mesmo para realizar a abertura de novas contas digitais. Os dados que consolidam a preferência estão na Pesquisa de Tecnologia Bancária 2019 da FEBRARAN, divulgada nesta terça-feira (7). O levantamento foi baseado em dados de 2018 de 20 bancos associados, o que inclui os cinco maiores players do país.

LEIA TAMBÉM: Chatbots devem reduzir custos operacionais em bancos em US$ 7,3 bilhões até 2023

No último ano, as transações bancárias feitas pelo celular apresentaram crescimento de 24% em relação ao ano anterior. O aumento de volume de transações com movimentações financeiras por celular quase chegou a 80% no ano passado.

Para se ter uma noção, 2,5 bilhões de pagamentos de contas e transferências, o que inclui DOC e TED, foram operados por meio do mobile banking. Pela primeira vez, o número superou as operações realizadas pelo internet banking na preferência de canais dos brasileiros. Isso significa dizer que de cada 10 transações, com ou sem movimentação financeira, 6 são realizadas por meios digitais, o que inclui celulares ou computadores.

Abertura de contas

A necessidade de comparecer a uma agência bancária para abrir uma conta também se tornou obsoleta. Isso porque o País registrou um boom de contas digitais abertas via smartphone. Foram nada menos que 2,5 milhões em 2018, um número bem maior em relação aos 1,6 milhão do ano anterior. Neste contexto, também houve um robusto acréscimo de 60% na contratação de crédito via aplicativos de celular.

O aumento se deve, principalmente, pela praticidade, segurança e conveniência oferecidas pelo canal, que já foi  responsável por 40% do total de transações efetuadas no ano passado – considerando-se as transações feitas em agências, via internet banking, autoatendimento, pontos de venda no comércio, correspondentes no país e telefone. Outra medida que aponta o crescimento da operação é que, em 2014, o mobile banking respondia por apenas 10% das transações.

Sobre a pesquisa 

Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária já acontece há 27 anos e é desenvolvida pela Federação Brasileira de Bancos. O levantamento atual foi criado em parceria com a Deloitte e contou com a participação de 20 bancos, que representam 91% dos ativos dessa indústria no País. Para elaborar o levantamento, um questionário online foi aplicado às instituições financeiras e, também, foram feitas entrevistas com especialistas. “A Pesquisa Deloitte mostra que os bancos têm explorado novas tecnologias constantemente, sempre tendo como prioridade oferecer uma experiência melhor, mais rápida e segura para seus clientes”, explica Sérgio Biagini, sócio líder da Deloitte para Serviços Financeiros no Brasil.