As 22 empresas mais humanizadas do Brasil

Pesquisa inédita da USP aponta companhias que elevam sua humanidade por meio dos negócios e têm o capitalismo consciente como princípio de atuação

Por: - 5 meses atrás

humanizadas Crédito: Shutterstock

Um levantamento inédito feito pelo pesquisador Pedro Paro, especialista em propósito e estratégia de empresas da Universidade de São Paulo (USP) apontou as 22 empresas mais humanizadas do Brasil. Com o apoio do jornalista Rodrigo Caetano, a pesquisa listou as companhias que elevam seus custos através da humanidade e que possuem o capitalismo consciente como princípio da sua atuação.

A lista não possui caráter de ranking e mapeou, entre 1.115 empresas, quais promovem práticas alinhadas aos seus princípios e ideais de fazer negócios para melhorar o mundo.

O estudo, conforme relata Pedro Paro, foi iniciado em 2016 em meio aos escândalos de corrupção e lavagem de dinheiro envolvendo empreiteiras na Operação Lava Jato. O processo da pesquisa se deu com a análise de bases de dados sobre os principais stakeholders de atuação de qualquer empresa, como colaboradores, consumidores e investidores.

LEIA MAIS: Confira a edição online da Revista Consumidor Moderno! 

Estrutura

Das 1.115 companhias selecionadas, 22 foram eleitas e apontadas como as mais humanizadas do mercado nacional. Para tal seleção, Pedro conta que quatro critérios foram escolhidos baseados no capitalismo consciente, como propósito maior, liderança para stakeholders, cultura e liderança consciente.

Entre os aspectos citados pelo estudo, Paro aponta o comportamento dos millennials e sua entrada no mercado de trabalho como um fator para modificação das empresas.

“Eles buscam uma compra diferenciada, uma empresa alinhada com o seu propósito. Por isso tantas startups surgem no mercado”, conta.  Ainda de acordo com o pesquisador, empresas que fazem o bem para a sociedade são mais lucrativas.

Após a segmentação de empresas, o jornalista Rodrigo Caetano entrevistou diretores e fundadores das companhias escolhidas para recolhimento de outras informações e ideias para incentivar outras instituições para investir nesse conceito.

“Os líderes têm consciência das conexões e das interdependências das relações entre ele e seus colaboradores. A ideia é promover o princípio de que juntos, todos são mais fortes”, completa o jornalista.

Capitalismo Consciente

O movimento pela sustentabilidade e proteção do meio ambiente cresce a cada ano. Mas afinal, o que é capitalismo consciente? O conceito surgiu como um movimento global nos Estados Unidos a partir de um estudo acadêmico conduzido por Raj Sisodia, Jaf Shereth e David Wolf.

A pesquisa tinha o objetivo de verificar como algumas empresas conseguiam manter alta reputação e fidelidade dos clientes sem ter investimentos exorbitantes em publicidade e marketing.

Antes de ser publicado, o estudo chegou ao conhecimento de John Mackey, CEO da Whole Foods, que identificou no manuscrito muitas características e atitudes que há muitos anos já aplicava em seu negócio. Logo depois, o estudo evoluiu para o livro Firms of Endearment (traduzido para o português como “Empresas Humanizadas”) publicado em 2007 com princípios de empresas que lucram a partir de paixão e propósito.

Confira a lista de empresas mais humanizadas do Brasil