Prada vai deixar de usar pele animal em suas coleções

A primeira coleção feminina sem o material será lançada no começo de 2020. Iniciativa da marca se alinha com o conceito de luxo ético

Por: - 3 semanas atrás

Prada Crédito: Shutterstock

A grife italiana Prada anunciou, na última quarta-feira (22), que vai deixar de usar peles de animais em suas próximas coleções e produtos. A primeira coleção sem o material será a feminina  de verão no começo de 2020. Os produtos já em estoque serão vendidos até serem esgotados.

Fast Fashion cria moda sustentável com fibras de abacaxi e cascas de laranja

Em colaboração com a Fur Free Alliance (FFA), uma coalizão de mais de 50 organizações de proteção animal de mais de 40 países, o anúncio do grupo Prada segue um diálogo positivo entre a marca de luxo e os membros da FFA, LAV e The Humane Society dos Estados Unidos.

“A Fur Free Alliance aplaude a iniciativa da marca por ir livre de pele. O Prada Group com suas marcas agora se une a uma lista crescente de marcas livres de peles que estão respondendo às mudanças de atitude dos consumidores em relação aos animais”, afirma Joh Vinding, presidente da Fur Free Alliance.

LEIA MAIS: Confira a edição online da Revista Consumidor Moderno! 

Nova postura

Segundo o grupo Prada, a decisão foi tomada depois de um diálogo positivo. “Focar em materiais inovadores vai permitir à companhia explorar novas fronteiras do design criativo, ao mesmo tempo em que atende à demanda por produtos éticos”, afirmou, em nota, a CEO da marca, Miuccia Prada.

Brigit Oele, gerente de programas da Fur Free Alliance, relatou que a grife italiana foi pioneira na decisão. “O Prada Group foi uma das empresas mais rápidas a entrar em um mercado livre de pelos quando o diálogo positivo começou há pouco mais de um ano. Tudo isso mostra que esse movimento global está ganhando força rapidamente, e é muito improvável que a pele retorne como uma tendência aceitável. Este é um ótimo dia para os animais!”.

Além disso, a decisão da marca italiana de não utilizar mais pele animal é consciente com o novo conceito de “luxo ético”, que atende às expectativas dos novos consumidores que buscam produtos cada vez mais sustentáveis e que respeitem o meio ambiente e os animais.

Prada

JÁ VIU? Nestlé investe R$400 milhões em inovação para produtos mais saudáveis