Amazon estaria criando gadget capaz de identificar as emoções humanas

Desenvolvedores do hardware da Alexa e do auto-falante Echo estão envolvidos no projeto. Novidade fomenta discussão sobre o armazenamento de dados nestes dispositivos

Ramón Salinero | Unsplash

A Amazon continua fazendo jus a sua posição de empresa mais valiosa do mundo, segundo levantamento recente da consultoria britânica de estratégia de negócios Brand Finance. Tanto é que a gigante de tecnologia estaria desenvolvendo um gadget de pulso ativado por voz e capaz de reconhecer as emoções humanas. De acordo com informações do site Bloomberg, que teve acesso aos documentos do projeto, o dispositivo está sendo criado em parceria com a Lab126 – grupo responsável pelo hardware do telefone Fire da Amazon e do alto-falante inteligente Echo, e pela equipe do software de voz do Alexa. 

VOCÊ VIU? Amazon substitui funcionários por máquinas. O que muda?

A ideia é que ele funcione como uma ferramenta de saúde e bem-estar no formato de aplicativo inteligente. Com a tecnologia, será possível identificar o estado emocional do usuário pelo tom de sua voz e, desta forma, aconselhá-lo, por exemplo, sobre a melhor forma de interagir com os outros. Até o momento a Amazon ainda não confirmou oficialmente sobre o projeto, que tem o codinome de Dylan e estaria em fases de testes.

Amazon

Segundas intenções?

Em meio aos avanços tecnológicos, um cenário merece destaque: empresas como Microsoft, Alphabet, Google e IBM já estão na linha de frente do desenvolvimento de tecnologias capazes de identificar estados emocionais através de imagens e dados de áudio. A própria Amazon já afirmou publicamente seus planos de criar um assistente de voz ainda mais realista.

E em meio ao desenvolvimento dessas tecnologias, abre-se espaço também para outra discussão: a quantidade e o tipo de dados pessoais coletados por essas gigantes de tecnologia. Este ano, a Bloomberg coletou informações que dão indícios de que a Amazon estaria armazenando os áudios capturados pelo auto-falante Echo. Desta forma a empresa conseguiria identificar como aquele usuário está se sentindo para recomendar produtos condizentes com o seu humor naquele momento.

LEIA MAIS: Amazon, Apple e Google são as empresas mais valiosas do mundo

Especula-se que a Alexa, por exemplo, seja capaz de detectar uma condição emocional anormal, como uma mulher fungando e, ao perceber que ela está resfriada, lhe oferecer uma receita de sopa.

Além disso, a empresaria também tem unido forças para criar um robô doméstico batizado de “Vesta”, em alusão à deusa romana que é o símbolo da casa e da família. Especula-se que o bot seja uma extensão da Alexa. É esperar para ver.

Amazon

 

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Vídeos

VEJA MAIS

Revista Consumidor Moderno

VEJA MAIS