Cientista brasileira desenvolve ‘caneta’ que detecta células cancerígenas

No formato de uma espécie de caneta, dispositivo extrai moléculas de tecidos humanos e aponta a presença do câncer após análise rápida

Por: - 3 meses atrás

células cancerígenas Crédito: Divulgação

A ciência traz mais uma novidade no ramo da saúde. Dessa vez, uma brasileira desenvolveu uma caneta que detecta células cancerígenas em segundos. A invenção é de Livia Schiavinato, formada em Química pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). Aos 33 anos, ela é chefe de um laboratório de pesquisa da Universidade do Texas, em Austin, e criou a ferramenta.

No formato de uma espécie de caneta, o dispositivo extrai moléculas de tecidos humanos e aponta, através da análise do material coletado, a presença do câncer. Ainda em fase de testes, os primeiros resultados da tecnologia desenvolvida por Livia foram positivos.

LEIA MAIS: Confira a edição online da Revista Consumidor Moderno! 

Aplicação

Chamada de MasSpec Pen, a caneta tem como principal função, segundo a cientista, confirmar que todo câncer foi removido em um procedimento cirúrgico, por exemplo.

“Muitas vezes o tecido é retirado e analisado por um patologista ainda durante a cirurgia para confirmar se todo o tumor está sendo retirado, mas esse processo leva de 30 a 40 minutos e, enquanto isso, o paciente fica lá, exposto à anestesia e a outros riscos cirúrgicos”, explicou Livia em entrevista a um jornal norte-americano. A caneta, que utiliza processos químicos e inteligência artificial para alcançar os resultados, nas primeiras análises alcançou uma precisão de 97%.

A MasSpec Pen precisa ser validada em novos testes clínicos para poder se tornar um instrumento de uso permitido. Além de reduzir o tempo, a tecnologia pode baratear e tornar resultados mais precisos e acessíveis.

Em 2018, Livia foi uma das vencedoras da bolsa da fundação MacArthur.

JÁ VIU? Dos códigos ao roteiro: idosos criam games e incentivam memória