Empreendedores 65+ apostam em negócio próprio para complementar renda

Mesmo após se aposentar, grupo de empreendedores 60+ aposta em negócio próprio como renda complementar à familiar. Veja os dados do Sebrae

Por: - 2 dias atrás

65+

Embora a ideia de empreendedorismo seja quase sempre atribuída aos mais jovens, os profissionais mais experientes têm muito a contribuir nesse cenário e os números provam isso. Levantamento feito pelo Sebrae a partir de pesquisa da Global Entrepreneurship Monitor revela que a proporção de empreendedores donos de negócios com 65 anos ou mais é de cerca de 7% no Brasil. O que representa 2,2 milhões de empreendedores pertencentes a essa faixa etária.

LEIA TAMBÉM: Hub voltado para empreendedores acima de 49 anos é inaugurado em SP

Esse grupo também apresenta rendimento mensal superior a empreendedores de outras idades, de modo que 14% deles ganham cinco salários mínimos ou mais mensalmente. Eles também aparecem como os que mais empregam, representando aproximadamente 18% do total de empregos gerados.

Atividade em números

– 9 em cada 10 empreendedores dessa faixa estão à frente do negócio há mais de 2 anos;

– O trabalho frequentemente é desenvolvido em estabelecimentos fixos (escritórios, lojas, etc);

– Mato Grosso aparece como o estado com maior número de empreendedores 65+, com 10%;

Ao contrário dos empreendedores de 18 a 24 anos de idade – que buscam primordialmente pela independência financeira –, a pesquisa mostra que os 65+ vêem a possibilidade da empresa própria como uma oportunidade de complementar sua renda.

Desafios encontrados

Embora tenham protagonismo e iniciativa, o público 65+ esbarra em alguns empecilhos no momento de empreender. Falta de processos e informatização na gestão, bem como baixa de escolaridade aparecem como gargalos constantes para esse grupo. Outro dado interessante do estudo mostra que a corrida por empreender se deu de forma recente aos 65+. Em sua maioria, eles apresentam trabalhos informais antes na ocupação anterior, o que sinaliza um movimento recente de profissionalização.

Somente no estado de São Paulo, quase 120 mil microempreendedores individuais (MEIs) têm 61 anos ou mais. O grupo representa 6,1% dos mais de 1,9 milhões de MEIs na cidade. O estudo do Sebrae ainda destaca que o fator determinante para 36% dos respondentes abrirem um negócio foi abrir um renda complementar à familiar.

Com informações do Sebrae

65+

Foto Madhav Rajesh | Unplash