O que levar em consideração no momento de investir em franquias em shoppings

Especialistas dão dicas para investir no setor. É necessário escolher franquias com modelos de negócio estabelecidos para eliminar custos

Crédito: Pexels

Abrir uma franquia em um shopping pode ser uma boa opção de investimento. Fatores como localização, público consolidado, segurança, ambiente climatizado e conforto muitas vezes impactam na decisão dos empreendedores que apostam no ramo das franquias.

Tendo em vista o potencial deste setor, a Partage Shopping investe constantemente na abertura e expansão de franquias de todos os segmentos, oferecendo todo o suporte necessário aos franqueados. A empresa foi uma das expositoras na ABF 2019.

Julio Macedo, diretor de Gestão e Marketing da Partage Shopping, e Adriano Capobianco, diretor Comercial da empresa, dão dicas para quem pensa em investir numa franquia dentro de shopping centers:

Quais tipos de franquia são interessantes para serem abertas em shopping centers?
Adriano Capobianco: Aquelas que possuem uma sólida estrutura de negócio, que consiga fornecer a devida assistência e suporte ao franqueado, mas ao mesmo tempo está antenada para as mudanças e melhorias do mercado e produto. Para os investidores, deve-se observar uma franquia que tenha uma marca previamente reconhecida, um modelo de negócio estabelecido e uma operação relevante perante os consumidores.

Com isso, eliminam-se alguns custos e trabalhos envolvidos na tentativa de estabelecer e construir a marca da empresa. As franquias de entretenimento e lazer, eletrônicos e serviços têm crescido consideravelmente no varejo, devido à digitalização cada vez mais acessível para a população.

Você observou alguma demanda reprimida por modelos específicos de franquias em shoppings?
AC: Devido ao dinamismo do mercado e o momento volátil da economia nos últimos anos, algumas marcas perderam força, os produtos se tornaram “ultrapassados” e com isso houve uma diminuição no ritmo de expansão em alguns segmentos. Algumas marcas tiveram que se reinventar e outras acabaram fechando. Todo este cenário gerou uma lacuna de crescimento em alguns segmentos, especialmente moda feminina, calçados masculinos e serviços.

Você possui algum dado relativo ao número de franquias já abertas nos empreendimentos da rede e principais segmentos?
Julio Macedo: Neste ano, de janeiro a maio, houve um aumento de 10% das lojas de franquias nacionais contratadas na rede Partage em relação ao mesmo período do ano passado. Já em relação ao número total de lojas contratadas em 2019, 40% são lojas franquias/nacionais, o que mostra a relevância e representatividade do modelo de negócio franquias em todo o Brasil. Os principais segmentos contratados de franquias foram serviços, calçados e alimentação.

A Partage Shopping apresentará um novo modelo de negócio com foco em franquias ou algum plano de expansão de franquias que pretenda expor no evento?
JM: Temos um portfólio composto por nove shoppings, cada um com a sua particularidade e franquias de “desejo”. Como grupo, pactuamos com a abertura e expansão de franquias de todos os segmentos, desde que possam fornecer aos franqueados todo o suporte necessário. Porém, temos hoje uma grande demanda de franquias para os segmentos de restaurante, serviços, vestuários e calçados femininos.

LEIA TAMBÉM: Aliansce e Sonae Sierra anunciam fusão e criam maior gestora de shoppings do Brasil

franquias

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Vídeos

VEJA MAIS

Revista Consumidor Moderno

VEJA MAIS