Qual o futuro da Apple?

Após a demissão de Jonathan Ive, designer responsável pelos principais produtos da companhia, empresa perdeu US$9 bilhões em ações no mercado financeiro

Por: - 3 meses atrás

Apple

Uma demissão que custou US$9 bilhões. Esse foi o valor perdido em desvalorização pela Apple após a saída de Jonathan Ive, ex-chefe de design da empresa no último dia 30. De acordo com a Bloomberg, a quantia equivale a 1% do valor de mercado da Apple.

A perda no sistema financeiro foi mais significativa do que a morte do ex-CEO, Steve Jobs, em outubro de 2011. Na ocasião, a Apple perdeu US$ 820 milhões em ações.

Legado

Ive era chefe de design e estava na empresa desde 1992. Durante 27 anos foi o principal responsável pelo visual de vários produtos, como todos os modelos de iPhone, iPod, iPad e Apple Watch, além do iMac G3 e iMac G4, entre outros. Ele também já narrou e apareceu em vídeos de produtos e foi o principal desenvolvedor do iOS 7, lançado em 2013.

LEIA TAMBÉM
Conheça as 100 marcas mais valiosas do mundo
Notebook de 54 mil reais? Apple anuncia nova geração de Macbooks Pro

Ive sai da Apple para abrir sua própria empresa de design, a LoveFrom, que terá a Apple como principal cliente. Em seu lugar, entraram Evans Hankey, vice-presidente de Design Industrial, e Alan Dye, vice-presidente de Design de Interface Humana.

Ao deixar a Apple, Ive provavelmente já tinha terminado seu trabalho com o design do iPhone 11, que será lançado ainda em 2019. Segundo o Bloomberg, pode ser que ele já tenha deixado o visual do iPhone de 2020 encaminhado.

Empresa valiosa

Apesar da saída de um dos mais importantes desenvolvedores da empresa e designers do mundo, a Apple foi eleita a marca de tecnologia mais valiosa do planeta, segundo o ranking BrandZ, lançado pela Kantar e a WPP, uma das maiores agências de publicidade do mundo.

Comandada por Tim Cook, a empresa viu seu valor de marca crescer 3% em relação ao ano passado e alcançar US$ 309,5 bilhões em 2019. O Google aparece em segundo lugar com um valor de marca de US$ 309 bilhões.

O estudo atribui a liderança da marca da maçã, criada por Steve Jobs, às novas estratégias da empresa para ampliar seu portfólio de produtos e serviços e mostrar que é mais do que uma fabricante de dispositivos inteligentes.

A Apple anunciou nos últimos meses a criação de serviços de transmissão de TV, assinatura de notícias, séries e filmes e serviços de jogos.

Apple

LEIA MAIS: Confira a edição online da Revista Consumidor Moderno!