Apple pode lançar iPhone “especial” na China

De acordo com fontes fornecedoras em depoimento ao The Verge, os próximos iPhones lançados na China podem trazer novamente o TouchID, tecnologia de reconhecimento por impressão digital da Apple

Por: - 3 meses atrás

Apple

A disputa econômica entre China e Estados Unidos afeta veementemente as gigantes da tecnologia. As sanções econômicas chinesas fizeram a receita da Apple China cair bruscamente. Com isso, a empresa de Tim Cook procura uma maneira de baratear os aparelhos.

VEJA MAIS: Qual o futuro da Apple?

De acordo com fontes fornecedoras, em depoimento ao The Verge, os próximos iPhones lançados na China podem trazer novamente o TouchID – tecnologia de reconhecimento por impressão digital da Apple. Atualmente, os iPhones contam com o FaceID, o reconhecimento facial. A volta da função de toque seria ideal para reduzir custos de desenvolvimento do aparelho e barateá-los por lá.

A maior novidade seria o TouchID implantado diretamente na tela de LED do aparelho. Essa tecnologia já foi patenteada pela Apple, mas nunca aproveitada em nenhum modelo lançado até hoje. De acordo com os rumores, o desenvolvimento dessa tecnologia não seria nada barato e a curiosidade fica em como a empresa faria para tornar isso sustentável.

China e seus iPhones exclusivos

Já foram lançados modelos exclusivos na China anteriormente pela Apple. A maioria dos aparelhos chineses contam com a tecnologia dual-chip (que permite mais de um chip de diferentes operadoras em um só aparelho).

Com este cenário em mente, os iPhones XS e XR foram lançados desta forma apenas na China. Nos outros países, só é possível ter um chip físico. Para ter duas operadoras em funcionamento, internacionalmente, é necessário adquirir um outro chip virtual.

Apple

Oficialmente, a Apple prevê apenas lançamentos de novos iPhones com o Face ID como exclusividade de identificação, isso segundo Ming-Chin Kuo, representante da empresa na China. Os modelos também apresentarão câmeras melhoradas e um número maior de lentes em suas câmeras frontais.

LEIA TAMBÉM: Millennials, eficiência e tecnologia: como a China enxerga o futuro do consumo