Nike enfrenta criticismo frente a novo modelo do Air Max 1

Tênis lançado pela marca traz a bandeira colonial dos Estados Unidos – a primeira que teria sido desenvolvida na época da escravidão

Por: - 1 mês atrás

Joseph Barrientos | Unsplash

Em 2018, a Nike lançou uma de suas maiores e mais polêmicas campanhas. A mesma estrelava o ex-jogador de futebol americano Colin Kaepernick, um nome controverso nos Estados Unidos devido a protestos anti racismo nos jogos da NFL. Desta vez, a marca enfrenta uma polêmica em função do cancelamento do lançamento do que seria a nova versão do clássico Air Max 1.

LEIA MAIS: Adidas, Reebok e Patagonia estão entre as marcas mais transparentes

O tênis em questão trazia a bandeira colonial dos Estados Unidos. E o que isso significa? Ela teria sido desenvolvida na época dos primeiros colonizadores e também da escravidão. Foi aí que o garoto-propaganda e ex-jogador solicitou à marca que não lançasse um tênis que relembrasse a todos de uma época de opressão ao povo negro.

Imediatamente, a marca recolheu todos os exemplares do varejo e emitiu um comunicado para se retratar. A decisão gerou indignação por parte dos republicanos, que não aprovam a onda de conscientização racial que tem tomado o país.

O governador do Arizona, Doug Ducey, declarou seu descontentamento nas redes sociais: “Palavras não conseguem exprimir o meu constrangimento com essa decisão da Nike. Estou embaraçado pela marca. Em vez de celebrar a história americana na semana da independência de nosso país, a Nike aparentemente decidiu que Betsy Ross – versão colonial da bandeira americana – não é digna e se dobrou ao atual massacre da correção política e do revisionismo histórico.”

E os boicotes à marca não pararam por aí: o governador ainda retirou um incentivo de US$ 1 milhão que seria direcionado à construção de uma nova fábrica da Nike no Arizona.

A marca foca seus esforços e posicionamento no público jovem que lê e interage com o que é dito nas redes sociais. Por isso escolheu retirar do mercado um produto que poderia ofender e causar danos ao público e a imagem da empresa.

A Nike escolheu seu lado e o abraçou

No passado, a Nike enfrentou críticas por lançar produtos racialmente insensíveis. O atual posicionamento vem da tentativa de discutir assuntos antes ignorados ou até mesmo mal utilizados pela companhia. O slogan “Just Do It” passou de uma referência esportiva para um apelo mais geral, relacionado à vida e a problemas diários que carecem de atitude.

VEJA TAMBÉM: O tênis que derrete na pia