Criatividade inspirada por dados é o futuro do marketing, diz estudo

Uma pesquisa da Nielsen Catalina Solutions revelou que a criatividade ainda é o principal elemento que aumenta as vendas e consumo

Por: - 1 mês atrás

marketing Crédito: Unsplash

Nunca houve uma época melhor para ser um criativo. Em um mundo cada vez mais cheio de informação, pensar “fora da caixa” e ter ideias poderosas faz toda a diferença. Uma pesquisa da Nielsen Catalina Solutions revela que a criatividade ainda é o principal elemento que aumenta as vendas.

Ao mesmo tempo, novos dados, tecnologias e possibilidades do machine learning surgem a todo momento. Hoje há mais plataformas, sinais e dados para orientar as decisões que tomamos do que jamais houve.

Dados e tecnologias podem auxiliar na construção de melhores escolhas e composições de ideias. Confira três desafios revelados pelo estudo.

O quanto conheço meu público?

A maioria dos profissionais de marketing acha que conhece seus clientes. Mas muitas vezes, não é esse o caso. Segundo uma pesquisa recente, 61% das pessoas disseram que as marcas que deveriam conhecê-las, na verdade, não as conhecem.

Mas com tantos dados e ferramentas disponíveis para as equipes de criação e de estratégia, entender de forma mais profunda as necessidades e paixões das pessoas – e garantir que o marketing esteja alinhado a elas – está mais fácil do que nunca.

Estou oferecendo personalização?

Novas tecnologias e ferramentas também podem ajudar a atingir os públicos certos com conteúdo envolvente, algo que é muito importante: uma pesquisa mostra que anúncios relevantes em vídeo recebem 3 vezes mais atenção das pessoas do que a média das propagandas.

Qual o meu roteiro de trabalho?

Se tem uma regra do trabalho criativo que eu aprendi, foi esta: não existem regras. Mas testes inteligentes e estratégicos podem nos ajudar a entender o que funciona e o que não funciona.

Você pode aprender com os testes de outras pessoas e usar plataformas como o YouTube para fazer experimentos enquanto os vídeos rodam, observar o engajamento dos usuários e refinar sua abordagem com base nesse feedback imediato.

JÁ VIU? Procura por bancos digitais é tendência, mas agências físicas ainda são preferência
LEIA MAIS: Confira a edição online da Revista Consumidor Moderno!