Walkman deve voltar ao mercado em versão Bluetooth

Modelo, que foi lançado pela Sony em 1979, está sendo desenvolvido por empresa internacional e pode ser adaptado a fones sem fio. Assista ao vídeo

Uma empresa gringa pegou carona na onda do revival para trazer de volta um device que fez muito sucesso nos anos 80: o Walkman. A versão atualizada do aparelho toca fitas, que recebeu o nome de ITS OK, tem como diferencial a função Bluetooth, que possibilita o uso de fones sem fio.

Walkman

Disponível em três cores – nuvem branca, rosa sakura e azul noite – o tocador foi desenvolvido com a parte de frente transparente, para que seja possível ver a fita rodando. 

Walkman

Por enquanto a novidade é um protótipo e a empresa NINM Lab lançou uma campanha de financiamento coletivo para produzir as primeiras unidades. Os interessados podem desembolsar 63 dólares – o equivalente a 240 reais – em um dos modelos. O objetivo é que o público receba o produto assim que a meta for alcançada. 

Walkman

RETRÔ, SIM!

A onda retrô já virou tendência no planeta. Não à toa, as vitrolas voltaram a ser comercializadas em versões mais modernas, com direito a cabo auxiliar e caixa de som potente. Os artistas também entraram na onda e passaram a produzir seus últimos lançamentos também em versão vinil.

A notícia da volta do Walkman, ou pelo menos da iniciativa de colocá-lo novamente no mercado, coincide exatamente com o aniversário de 40 anos do aparelhinho. Ícone de uma geração, ele foi desenvolvido pela Sony em 1979 e revolucionou uma geração, já que foi um dos primeiros reprodutores portáteis de música.

Walkman

Além disso, foi fio condutor da popularização das fitas cassetes que, na época, causaram o declínio nas vendas de vinis. Estima-se que mais de 385 milhões de unidades tenham sido comercializadas no mundo todo. No fim da década de 80, com a ascensão do CD, a Sony lançou no mercado em 1988 o Discman D-20, que rapidamente se popularizou. 

ASSISTA ao vídeo do ITS OK

MAIS LIDAS

VEJA MAIS

ÚLTIMAS

VEJA MAIS

Vídeos

VEJA MAIS

Revista Consumidor Moderno

VEJA MAIS