Procon São Paulo notifica FaceApp sobre o uso de dados pessoais

Procon São Paulo pediu esclarecimentos ao app russo. Apple e o Google também foram “convidadas” a falar sobre o assunto. Entenda a polêmica

Por: - 1 mês atrás

procon

Na quinta-feira (19), a Fundação Procon de São Paulo notificou o aplicativo FaceApp e as empresas Apple e Google, proprietárias das lojas virtuais que disponibilizam o app. De acordo com o Procon, as empresas deverão esclarecer a política de coleta, armazenamento e uso dos dados dos consumidores que utilizam o aplicativo de celular.

“Informações divulgadas na imprensa afirmam que a licença para uso do aplicativo contém cláusula que autoriza a empresa a coletar e compartilhar imagens e dados do consumidor, sem explicar de que forma, por quanto tempo e como serão usados. E ainda, essas permissões não estão disponíveis em língua portuguesa”, destacou a entidade em nota.

Google e a Apple

O FaceApp, disponível nas lojas de aplicativos Play Store (para o sistema operacional Android, da Google) e Apple Store (para o sistema operacional iOS), virou febre nas redes sociais. O aplicativo faz edição e aplicação de filtros em imagens, como a simulação das faces em idades mais avançadas ou em outros gêneros.

O programa é anunciado como uma ferramenta para melhorar fotos e criar simulações por meio de filtros. Especialistas apontam que o aplicativo pode trazer uma série de riscos à privacidade do usuário e viola a legislação brasileira ao afirmar que poderá ser regido por leis de outros países.

LEIA TAMBÉM
Veja lista de dados coletados pelo app que envelhece as pessoas
Senador americano afirma que FaceApp é risco à segurança nacional

LEIA MAIS: Confira a edição online da Revista Consumidor Moderno! 

Com informações da Agência Brasil