Latinos buscam ingredientes mais saudáveis na hora de comprar produtos

Pesquisa mostra que ingredientes entendidos como vilões da saúde são evitados pelos consumidores. Estudo aponta leitura atenta dos rótulos

Por: - 1 mês atrás

saudáveis Crédito: Unsplash

Um estudo da Kerry, instituição de pesquisa em nutrição e rótulos, apontou que latino-americanos buscam ingredientes mais saudáveis na hora de comprar produtos. Segundo levantamento, 90% dos entrevistados consideram importante os produtos serem fabricados com ingredientes de origem natural ou com substâncias orgânicas, além de frutas e legumes.

Na América Latina, o estudo indica que a categoria de carnes é a terceira mais consumida, depois de laticínios e produtos de panificação. A pesquisa revelou que 88% dos entrevistados consumiram itens cárneos, como calabresas, presuntos e outras carnes processadas, pelo menos uma vez por mês.

O Brasil está entre os maiores consumidores de carnes no mundo. Segundo levantamento da Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE), os Estados Unidos lideraram o consumo de carne em 2017 com 98,6 quilos per capita por ano. A Austrália ficou em segundo, e os argentinos em terceiro. O Brasil apareceu na sexta colocação com consumo de 78,6 quilos por pessoa e com preferência para a carne de aves.

Rótulo limpo

A pesquisa da Kerry indica ainda que 49% dos latino-americanos que leem o rotulo dos produtos revisam a quantidade de sódio e isso se torna fator decisivo no momento da compra.

“As pessoas estão se mostrando mais conscientes e a indústria está mudando a forma como oferece opções de consumo”, afirma Alejandra Rullan, Diretora de Nutrição da Kerry na América Latina.

Diante de tantas transformações no consumo, o conceito clean label ou “rótulo limpo” tem sido incorporado pelas empresas. O termo usado na indústria descreve o desejo do consumidor de saber sobre o que está presente em seu alimento, onde foi desenvolvido e como foi processado.

JÁ VIU? 
O que é clean label? Especialista aponta conceito como tendência na alimentação

Nestlé investe R$400 milhões em inovação para produtos mais saudáveis