Nestlé e o desafio de produzir papinhas 100% orgânicas

Para entender melhor esse universo das refeições prontas para bebês, passamos três dias com a equipe da Nestlé. Agora, a marca apresenta ao mercado a nova versão de suas papinhas, NaturNes. A mesma papinha, em versão 100% orgânica

Por: - 3 meses atrás

Nestlé Naturnes Consumidor Moderno

A discussão sobre a alimentação na primeira infância é longa. Muito discute-se sobre o que oferecer ou não aos pequenos na fase de adaptação alimentar. Houvera um grande mito de que papinhas prontas, especialmente as da Nestlé, eram ricas em conservantes químicos, sal e outros componentes não tão bons assim para a alimentação das crianças.

LEIA MAIS: Gordura trans? Pesquisa faz alerta sobre rótulos de alimentos

Para entender melhor esse universo das refeições prontas para bebês, passamos três dias com a equipe da Nestlé. Agora, a marca apresenta ao mercado a nova versão de suas papinhas, NaturNes, agora em versão 100% orgânica. Os frutos que compõem o produto são totalmente livres de qualquer agrotóxico, e não possuem aditivos químicos. O açúcar ali presente é exclusivo do sabor da fruta.

“Há muitos anos havia açúcar na papinha. Mas isso foi há muito tempo. Já não existe mais a adição desse ingrediente. O excesso de sal também é um mito. Na versão até os 12 meses, não temos sal, e a quantidade após essa idade é moderada. Todo o processo conta com um trabalho em conjunto com a SBP (Sociedade Brasileira de Pediatria). Temos um trabalho muito grande no controle de qualidade e no frescor dos nossos ingredientes”, garante Livia Reinert, Gerente de Marketing e Consumo da Nestlé.

Em entrevista, a executiva que comanda o projeto da NaturNes, abordou o histórico das Papinhas Nestlé. A marca preza por um padrão de qualidade europeu na escolha de suas matérias primas. O resultado? Uso muito abaixo do esperado no que diz respeito à agrotóxicos e conservantes.

Uma jornada no mundo dos orgânicos

Em Turvínia, cidade do interior de São Paulo, é onde vive a família que produz as batatas doces orgânicas que são fornecidas à Nestlé para a fabricação da nova linha. Os frutos colhidos são levados em no máximo 48 horas até a fábrica – passo importante para manter o alimento conservado.

Luciana Carboni, Produtora de Orgânicos

Essa é uma grande iniciativa da marca em apoio à pequenos produtores. Luciana Carboni, comandante da colheita, produção e distribuição, além de plantar, conta com outros fornecedores. Um benefício em cadeia para famílias que trabalham muito no cuidado do plantio.

Segundo Luciana, o solo é extremamente importante. É preciso escolher o local correto para plantar, cuidar da terra manualmente e ter um controle constante para manter o ingrediente intacto, em sua qualidade perfeita. Ela já comanda o negócio há mais de 20 anos. Tudo começou, quando por um problema de saúde, precisou parar o consumo de alimentos ricos em agrotóxicos.

Desde então, Luciana desbrava uma jornada no incentivo ao mercado dos orgânicos. Ela e sua família possuem um espaço na CEAGESP, em São Paulo, onde comercializam seus produtos, de plantio próprio e de outros fornecedores. Todos 100% orgânicos.

Dentre os frutos cultivados pela família, estão a carambola, limão, alho e lichia. A parceria com a Nestlé surgiu durante a procura de um produtor de confiança para a nova empreitada da marca, que conta com diversos plantios orgânicos ao redor do Brasil.

O Sítio Nossa Senhora da Paz, em Turvínia, foi o lar onde fomos recebidos. Cerca de alguns quilômetros a frente, conhecemos a plantação de batatas doces fornecidas à Nestlé. Um trabalho majoritariamente manual. O auxílio do trator é apenas um facilitador para a colheita à mão.

Nestlé e seu processo rigoroso de qualidade

Durante a experiência, ficou claro que a certificação é importante nesses casos. Em fazendas que desejam fazer a transição, a descontaminação de agrotóxicos do solo pode demorar até oito anos. Após isso, há um período que varia de um ano e meio à três para a regulamentação e certificação dos órgãos oficiais.

A Nestlé opera com fornecedores certificados e segue um rigoroso padrão de escolha. Tudo isso deve-se a certificação também fornecida à NaturNes. A linha possui o selo “Orgânicos Brasil” –  certificação oficial de produtos orgânicos em terras brasileiras.

Caso esteja se perguntando: “Mas como uma papinha pode ser conservada por doze meses sem conservantes químicos?”. Bom, aí é outra história e a gente te conta logo abaixo.

A fabricação das “superpapinhas”

Marina Paschoal, Editora da Revista Pais&Filhos

Em uma jornada de aproximadamente uma hora e meia de estrada de Ribeirão Preto fica a Fábrica de Papinhas da Nestlé. Localização estratégica, que segundo a marca, é importante para manter a proximidade com a matéria prima de seus produtos.

Ao chegar nos recintos de produção, um rigoroso processo higiênico se inicia. Nenhum metal pode adentrar o solo da fábrica e ainda é preciso vestir luvas, gorro, avental e sapatos especiais.

Papinhas Nestlé

Processo de embalamento à vácuo da Nestlé

O processo da papinha assemelha-se à um processo caseiro em grande escala: todas são misturadas de forma natural. E a conservação do produto deve-se a embalagem à vácuo. Todo o oxigênio é retirado permitindo uma oxidação mais lenta. As papinhas são válidas por doze meses fechadas. Após abertas podem ser consumidas em até vinte e quatro horas.

“Fizemos uma jornada de transformação para atender as demandas do consumidor. Transparência é muito importante. Por isso lançamos rótulos transparentes, para que o consumidor possa ver o produto. A Nestlé acredita que cada pessoa tem seu jeito de cuidar – das crianças – e nós apoiamos isso”, diz Lívia.

Um futuro mais natural

Para o futuro, a marca entendeu que era preciso trazer uma evolução cada vez mais natural, já que cresceu a preocupação de mães e pais com o que os filhos consomem. A linha NaturNes chega para substituir gradualmente a marca Nestlé Papinhas. Agora, a empresa quer que o produto seja 100% clean label e por isso toda a linha será renovada.

A previsão do lançamento ao público de Nestlé NaturNes é outubro deste ano e a marca espera esgotar o estoque de Nestlé Papinhas no mercado.

“É importante frisar que as papinhas já são 100% naturais. O que NaturNes traz é uma versão 100% orgânica. Conseguimos lançar um produto que conta com microprodutores, em uma quantidade massiva. São quatro sabores: uva e banana, banana, maçã e goiaba com banana”, finaliza a executiva.

A linha da Nestlé surge em um momento de discussões no país sobre o aumento do uso de agrotóxicos. Pesquisas recentes apontam que, latinos têm se preocupado cada vez mais com o consumo de produtos mais naturais. É uma nova era de uma alimentação pensada para um passo atrás. Reduzir excessos é o caminho ideal para que unamos saúde, facilidade, funcionalidade e rapidez.