Clubes de assinatura: um mercado bilionário

Os clubes de assinatura são um mercado bilionário. Conheça aqui os principais hits do e os desafios de investir nisso

Por: - 3 meses atrás

Nos dias de hoje fazer uma assinatura mensal de um produto ou serviço virou febre entre os brasileiros. E aí não faltam espaço para os aficionados por vinho, cerveja, alimentos orgânicos e até universo geek. Não à toa esse público passou a movimentar milhões em um novo mercado ascendente: o Clube de Assinaturas. Os produtos ofertados se diferem, mas o objetivo é o mesmo: oferecer mês a mês itens cuidadosamente escolhidos, seja em caixas surpresa, ou em versões mais acessíveis e que compensam o gasto mensal.

Esses serviços são muito populares por aqui e no boom inicial muitas startups passaram a se aventurar no segmento. No entanto, como em todo o mercado, a falta de estratégia ou desconhecimento do setor gerou também o fim de muitas dessas empresas, que não conseguiram se manter de maneira sustentável. É o que diz Tiago Giarelli, Diretor da Divisão Corporativa da Tray Corp:

“Mas há quem tenha aproveitado a oportunidade para construir uma estratégia compatível com os anseios do seu público e, consequentemente, obteve grandes resultados — o que contribuiu para que esse modelo de serviço voltasse com força total”, declara o executivo.

Os desafios dos clubes de assinatura

Para o especialista em e-commerce que cuida dessa divisão na Locaweb, a negociação com fornecedores e parceiros logísticos é fundamental para que o negócio se mantenha. Também é preciso surpreender os clientes todos os meses, para além de manter a base fiel e conquistar novos assinantes por meio do burburinho.

É possível assinar diversos serviços de assinatura para receber uma seleção de produtos que vão de acordo com a sua preferência. De pet à orgânicos, esse é um modelo de negócio em pura crescente. Para o mercado editorial, por exemplo, é um modelo de negócios que tem dado certo após a queda das livrarias, por exemplo.

Confira abaixo alguns dos segmentos disponíveis e especializados nesta categoria

Para quem quer se alimentar melhor uma alternativa (não muito econômica) é assinar um serviço que entrega leguminosas e hortaliças em casa semanalmente. Um deles é o Raizs, clube de assinatura de orgânicos. Os produtos são colhidos e entregues em até 24 horas na casa do assinante e custam R$ 91,00 por semana. Outro no mesmo formato é o Clube Orgânico que permite a escolha do tamanho de sua cesta, com recebimento semanal, e com preços que variam de R$ 45,95 a R$ 95,90 por entrega.

Orgânicos, naturais e selecionados

Gosta de sucos de laranja? O Laranja Deli é o serviço que entrega laranjas da melhor qualidade, fresquinhas, em casa, todos os dias. A empresa fornece laranjas naturais, sem aditivos químicos, que são colhidas todos os dias em uma fazenda do interior de São Paulo. Os pacotes variam por quilo, e a faixa de preço vai de R$ 54,00 a R$ 240,00/mês.

O Clube +Q do e-commerce Mais Quitanda apresenta uma linha de produtos de acordo com as restrições alimentares e necessidades de cada pessoa. É possível receber um kit mensalmente com as principais novidades que incluem frutas e vegetais.

Na linha dos modelos de negócio por assinatura, a Nestlé lançou o “Ninho na Sua Porta”, um programa disponibilizado pelo aplicativo Rappi, onde é possível escolher os laticínios de preferência dentro da linha Ninho ou Molico com entrega rápida.

Já a Caixa Colonial é um serviço focado em queijos e embutidos. Todo mês o assinante recebe um kit com cerca de 6 produtos. Em cada edição, uma região do país é a escolhida da vez para o fornecimento dessas delícias. É possível consultar no site as edições anteriores e o que virá no próximo kit.

Esse é um serviço superpopular e famoso. A Box Petiko entrega todo mês aos assinantes, uma caixa repleta de brinquedinhos, petiscos e outros produtos de necessidade dos pets. É possível personalizar a conta com a foto do animal  e ainda escolher produtos avulsos para receber junto a caixa na loja oficial do clube de assinaturas.

A Joy Pet Box é outro clube de assinaturas muito popular no segmento. A caixa é um pouco maior do que a de seu concorrente e seu conteúdo é sempre uma surpresa.

O “quid pro quo” do mercado editorial

Os amantes da leitura possuem vários serviços para escolher e, talvez, este seja o mais popular dos clubes de assinatura: o Tag Livros que, em parceria com grandes editoras, entrega mensalmente uma seleção personalizada de livros para os clientes. É possível apontar o seu gênero de preferência para personalizar a curadoria da sua caixa.

Para os pequenos tem o Leiturinha, nele, os pais recebem uma seleção especializada de livros infantis para ler e compartilhar com as crianças.

Para os loucos por vinho e cerveja também é possível contratar vários clubes especializados no assunto. O Evino é o serviço mais antigo do segmento e nele é possível receber mensalmente uma caixa com vinhos da melhor qualidade, inclusive rótulos internacionais.

O Clube do Malte é o pioneiro no ramo das cervejas. Por ele, os assinantes recebem uma seleção exclusiva dos mais seletos tipos e variedades da bebida feita de lúpulo e malte.

Um mercado que vale R$ 1 bilhão

Em levantamento do Jornal Correio Braziliense, os dados mostram que essa indústria já movimentou mais de R$ 1 bilhão de reais no Brasil. Sucessos como a Tag Livros são grandes responsáveis por esse cenário. Gigantes do varejo já repensam sua estratégia e passam a oferecer o modelo em mais uma forma de lucrar com sua linha própria de produtos.

O modelo também se diferencia do varejo. O foco principal é na experiência e no fator supresa. Além disso, a comodidade de receber o produto escolhido em casa é um dos pilares do negócio.

“É necessário refletir sobre uma comunicação personalizada com o cliente para tornar a opção de um clube de assinatura mais atrativa e formar a primeira base de inscritos. Uma dica é oferecer benefícios como descontos especiais para assinantes, redução no valor do frete, entregas mais rápidas e brindes exclusivos”, finaliza Tiago Girelli.