Assistentes de voz: como elas podem melhorar seu cotidiano?

A partir de agora será possível usar o Google Assistant para deixar lembretes para terceiros. Entenda como funciona a novidade

Por: - 3 meses atrás

Estamos na era das assistentes virtuais. A primeira delas e mais popular, Alexa, da Amazon, chegou trazendo consigo memes na internet. A cada ação que um usuário do Twitter queria conseguir ou completar, um tweet pedindo para que a Alexa o auxiliasse subia na rede. O jogo ficou mais animado quando o Google trouxe o Google Assistant, que funciona tanto em um dispositivo semelhante ao da Amazon (Google Home) quanto em versões de telas inteligentes – pequenos dispositivos com uma tela de LED.

Tweet Assistentes de Voz

Eu: Alexa, quando computadores serão autoconscientes? Alexa: Quando você será? Eu: *olhando para fora da janela, chorando*: boa, Alexa

Pelo dispositivo já era possível acender ou apagar as luzes de casa, iniciar um dispositivo eletrônico, configurar alarmes e lembretes para si mesmo, ser notificado de e-mails importantes ou interações nas redes sociais. A nova função são lembretes que você poderá criar para uma terceira pessoa. O site da  Wired considerou a novidade como o “futuro da comunicação passivo-agressiva” entre casais”.

Para receber o lembrete ou a mensagem via Google Assistant, a pessoa precisará estar no seu grupo de contatos do Google Agenda e fazer parte do grupo do Google Family, que tem uma limitação de seis pessoas. E claro, se a pessoa tiver um outro dispositivo conectado à IoT dos dispositivos Google, também poderá receber a mensagem de forma personalizada.

Em um teste de demonstração, os Gerentes de Produto da Google, Glenn Wilson e Shikha Kapoor, mostraram como tudo funciona. Kapoor usou o controle de voz para pedir a um Smart Display para lembrar Wilson de ir à lavanderia na manhã seguinte. A assistente virtual entendeu isso como 6h da manhã. A assistente pode aprender com o tempo como funciona seu cronograma e entender qual horário você acorda e dorme, por exemplo.

LEIA TAMBÉM:  Apple? Conheça a origem da tecnologia que deu origem a Siri

O lembrete testado pelos dois aparecerá na tela do smartphone de Glenn ou no seu dispositivo inteligente instalado em casa. Outro lembrete interessante é o de quando a pessoa está na vizinhança de uma tarefa que precisa ser completa. Nestes casos a assistente envia uma notificação ao celular para que a tarefa seja imediatamente cumprida.

Segundo a companhia, as novas funcionalidades não são resultado de uma grande inovação tecnológica, mas sim do machine learning que consegue interpretar a maneira como as assistentes virtuais do Google vêm sendo usadas.

Ficou interessado em ter uma assistente virtual em casa? Conheça abaixo as mais populares e faça um comparativo para entender o que seria mais adequado a sua rotina. A maioria delas possui a capacidade de tocar suas músicas favoritas, ligar o que é conectado a eletricidade e estabelecer alarmes e lembretes.

Amazon Echo

Amazon Echo Plus – Divulgação

O Amazon Echo é o dispositivo responsável por dar o corpo à Alexa, assistente da Amazon. Por estar a mais tempo no mercado, é o mais rápido atualmente e consegue entender diversos comandos: ver a programação dos cinemas próximos, atender ou declinar ligações, integração com a TV (via Fire Stick – dispositivo de TV da marca), controlar as luzes (via lâmpadas da Amazon ou auxiliares de tomada inteligentes).

Apesar de já existirem alguns modelos no mercado, nossa recomendação fica com o Echo Plus na versão internacional (US$ 149,99) e o Echo Show da segunda geração (US$ 29.99).

Os dispositivos são vendidos pela Amazon americana, no entanto tem entrega no Brasil.

Siri e Cortana: Assistentes de voz que já estão com você

Essas assistentes são gratuitas! Podemos começar por aí. As duas são encontradas em dispositivos nativos de informática ou gadgets. A Siri é a mais popular, sendo a primeira assistente por voz dos celulares. Ela pode ser encontrada nos iPhones e Macbooks. Com ela é possível organizar todo o seu cronograma, enviar e-mails, mensagens e pedir para tocar aquela playlist do coração.

Já a Cortana é a mais nova aposta do Windows. Tem as mesmas funcionalidades da Siri e também está integrada aos computadores com o sistema da Microsoft.

Google Home Hub e Mini

Google Home Hub – Créditos: WIRED

A maioria dos dispositivos da Google possuem as mesmas especificações da Amazon. O importante aqui é frisar que o tempo entre a escuta do comando e a realização é um pouco maior do que os da empresa de Jeff Bezos. O aparelho da Google pode ser integrado com o já famoso Chromecast e controlar as funções da TV. Vale pontuar que a integração com celulares Android é um pouco melhor, claro, por ser um dispositivo nativo.

O primeiro dispositivo (Home Hub) conta com a função Ambient EQ, capaz de ajustar o sistema de luz em níveis. Ele possui uma tela de LED e um pequeno alto falante não tão potente. Seu preço: R$ 959,00.

O Google Home Mini é a versão mais simplista para quem quer apenas funções básicas das assistentes virtuais. É um pequeno alto falante com três luzes LED que respondem conforme o usuário conversa com a assistente virtual. Esse custa cerca de R$ 190,00.

Também é possível ter um gostinho da Google Assistant nos smartphones Android: para isso é só configurar e dizer: “Ok, Google!”

E aí, que tal tornar sua casa mais inteligente e digital? Já pensou em chegar do trabalho e poder escutar sua playlist favorita com luzes baixas e uma lista das tarefas do dia seguinte?


+ SOBRE INOVAÇÃO

Toyota fecha parceria com startup para dar novas funções a robôs domésticos
Natura utiliza o Google para aumentar em 30% eficiência na criação de produtos
6 Segmentos que já apostam alto no uso da realidade virtual
Xiaomi e a aposta em celulares carregados por energia solar